Publicidade

Estado de Minas CRISE

Restaurante Alma Chef anuncia encerramento definitivo das atividades em BH

Casa situada no Bairro de Lourdes tinha cerca de 40 funcionários; estabelecimento foi fundado há 6 anos pelos chefs Felipe Rameh e Thiago Guerra


postado em 13/07/2020 16:52 / atualizado em 14/07/2020 15:09

(foto: Alma Chef/Divulgação)
(foto: Alma Chef/Divulgação)
pausa nas atividades anunciada em meados de junho pelo restaurante Alma Chef converteu-se em fechamento definitivo. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (13) ao Estado de Minas pela assessoria dos proprietários da casa, instalada no Bairro de Lourdes, Região Centro-Sul da capital. O negócio empregava cerca de 40 pessoas, entre garçons, cozinheiros, ajudantes de cozinha, sommeliers e funcionários administrativos.   


Ver essa foto no Instagram

Foi difícil vir até aqui pra anunciar esse fechamento, muitos de vocês já devem saber. A metade dos 12 anos que vivo em BH foram dedicados ao Alma Chef. É um tantão de vida dedicado a um sonho, um projeto, uma ideia. Me lembro que nós queríamos montar um lugar inovador, uma casa que fosse múltipla, com cursos, eventos, restaurante e mercadinho onde pudéssemos receber grandes chefs, que a cozinha não fosse fechada e que os cozinheiros pudessem interagir com os clientes. Foi um ano de planejamento até inaugurarmos o Alma, muito trabalho, pesquisa e uma vontade enorme de fazer %u201Cdar certo%u201D, me entreguei de Corpo e Alma. Nesses anos muitos intensos, recebemos os chefs mais queridos e talentosos do país e pudemos experimentar emoções de todos os Brasis! Se teve algo de sobra nessa história foram fortes emoções, ah! se teve. Teve também muita gente linda trocando vivências na cozinha, ensinando e aprendendo. Só existiu alma por que tinham pessoas completamente entregues aos nossos sonhos. Como eu sou grato a todos vocês!! Foram tão generosos comigo, se doaram tanto, riram, sofreram e assim nós pudemos servir e alegrar muitos clientes e amigos. No último ano passamos por profundas mudanças e tivemos o privilégio de dividir nossa casa com o Gui, um ex-aluno que virou irmão. Apaixonado por gastronomia ele topou o desafio de ressignificar o Alma e juntos dividimos lindos e duros momentos nesses últimos meses, desafios que só reforçaram a admiração e bons sentimentos que nutro por ele. Obrigado Gui.%uD83D%uDDA4 Quero agradecer a todos os fornecedores que sempre se desdobraram pra nos atender a qualquer hora, vocês são únicos! A minha família que me apoia incondicionalmente e possibilitou que eu tivesse tempo e coragem pra tanto trabalho. Sobre o futuro posso dizer que teremos mais comida boa, ensinamentos e grandes desafios. Continuarei por aqui multiplicando esse poder mágico que a boa comida carrega. Ter e dar prazer através da cozinha, cheia de propósito e emoção. Evoé!

Uma publicação compartilhada por Felipe Rameh (@felipeeep) em



"Foi difícil vir até aqui para anunciar esse fechamento. A metade dos 12 anos que vivo em BH foram dedicados ao Alma Chef. É um tantão de vida dedicado a um sonho, um projeto, uma ideia", disse o empresário na rede social. "Sobre o futuro, posso dizer que teremos mais comida boa, ensinamentos e grandes desafios. Continuarei por aqui multiplicando esse poder mágico que a boa comida carrega. Evoé!", acrescentou.

Em 27 de junho, o empreendimento promoveu uma live de despedida no Instagram. Durante a transmissão, o chef Caio Soter compartilhou receitas e segredos culinários com os seguidores. Na ocasião, a clientela pôde fazer pedidos via delivery pela última vez. Dez dias antes (16 de junho), o restaurante havia anunciado supensão por tempo indeterminado das atividades. A crise provovocada pela pandemia do novo coronavírus, foi a principal justificativa apresentada para a paralisação.

Fundado em 2014 por Felipe Rameh e Thiago Guerra, o Alma Chef ocupou, por seis anos, o imóvel da Rua Curitiba onde funcionou a VideoMania, tradicional videolocadora da cidade, que fechou as portas em 2013. O espaço gastronômico oferecia serviço a la carte noturno, aulas de culinária e eventos corporativos. O local abrigava também um empório. 

Cenário devastador

No início de junho, A Favorita, outro tradicional restaurante do Bairro de Lourdes, também saiu definitivamente de cena. Segundo funcionários da casa - 50, no total - a situação foi comunicada via WhatsApp pelo proprietário Fernando Areco Motta.

Os empregados alegam que estão com salários atrasados - o último teria sido pago em abril - e reinvindicam o recebimento de obrigações trabalhistas, como férias vencidas. 

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Minas Gerais (Abrasel-MG) estima que a pandemia tenha provocado o fechamento de 30% dos 22.524 emprendimentos que funcionam BH. Mais da metade dos 135.144 empregados diretos do setor já teria sido demitida. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade