Publicidade

Estado de Minas ASSISTÊNCIA SOCIAL

Canto da Rua comemora mais de 10 mil atendimentos em um mês em BH

Iniciativa acolhe população em situação de rua, oferecendo lanche, banho, roupas e até cuidados com animais de estimação, além de garantir hospedagem para quem precisa


postado em 13/07/2020 11:57 / atualizado em 13/07/2020 12:36

Serraria Souza Pinto, no Centro, abriga estrutura para atendimento de pessoas em situação de rua de Belo Horizonte(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)
Serraria Souza Pinto, no Centro, abriga estrutura para atendimento de pessoas em situação de rua de Belo Horizonte (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)
O projeto Canto da Rua Emergencial, criado pela Pastoral de Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte, em parceria com o Instituto Unibanco e com apoio de órgãos públicos, complea um mês de funcionamento com motivos para comemorar.

Foram mais de 10 mil pessoas atendidas na estrutura montada na Serraria Souza Pinto, no Centro da capital, além de 120 cidadãos hospedados em casas na cidade, com direito a quatro refeições diárias, acompanhamento sócio-assistencial, saúde e direitos.

A fila que se forma todos os dias na frente do equipamento, próximo à Praça da Estação, dá mostras do sucesso da iniciatva. São muitos os que buscam ali resgatar um pouco da dignidade ameaçada para quem vive nas ruas, da emissão de documento à possbilidade de usar um banheiro, com direito a banho, passando por alimentação, roupas, corte de cabelo e até cuidados para animais de estimação.

"Aqui temos todo o apoio que necessitamos. Está cada vez mais difícil, não está tendo emprego. Ainda bem que tem isso aqui para nos ajudar", diz Marcos Santos Mendes, que há 20 anos deixou Januária, no Norte de Minas, em busca de melhores oportunidades em Belo Horizonte, e não parou mais de rodar. "Em outros lugares o morador de rua passa forme. Aqui, não."

"É impessionante imaginar todas essas demandas descobertas e estas pessoas, mais uma vez relegadas à própria sorte. Mais impressionante ainda é saber que, com certeza, esses atendimentos foram feitos dentro de um universo de carca de 9 mil pessoas que hoje se encontram em situação de rua na nossa cidade", dizem os responsáveis pelo Canto da Rua Emergencial.

"A pandemia de COVID-19 evidencia a desigualdade social, quando as formas de proteção, prevenção e tratamento envolvem condições minimamente humanas de saúde, moradia, trabalho e renda. Mais ainda, trás para a condição de rua ou de necessidade de assistência mais pessoas que, até então, se equilibram parcamente no mercado de trabalho. Nesse cenário, a fragilidde das políticas públicas e a ausência de políticas que contribuam para a suçperação da vida nas ruas, obrigou a sociedade civil a responder prontamente com ações de atenção, solidariedade e cuidado.”

As instalações na Serraria Souza Pinto estarão disponíveis até 15 de agosto. Até lá, a Pastoral de Rua espera que agentes públicos e privados consigam desenvolver ações que permitam a manutenção do atendimento, tão necessário durante a pandemia, mas também depois, uma vez que a recuperação econômica do Brasil deverá ser lenta.

CANTO DA RUA EMERGENCIAL EM NÚMEROS

10 mil pessoas atendidas

20 mil lanches distribuídos

4 mil banhos

900 atendimentos sócio-assistenciais

182 atendimentos de saúde

104 atendimentos do Ministério Público de MG

126 antedimentos da Defensoria Pública

240 atendimentos recivis

183 atendimentos de animais de estimação


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade