Publicidade

Estado de Minas

Família discorda de laudo que aponta morte de idoso com suspeita de COVID

Óbito foi confirmado na UPA Oeste na manhã desta quarta-feira. PBH diz que apontar suspeita de infecção por coronavírus é protocolo é padrão para evitar contaminações


postado em 08/07/2020 16:50 / atualizado em 09/07/2020 14:33

Idoso foi internado há dois dias, mas morreu na UPA Oeste. Família tenta fazer velório, que não é aconselhado em pacientes com coronavírus(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
Idoso foi internado há dois dias, mas morreu na UPA Oeste. Família tenta fazer velório, que não é aconselhado em pacientes com coronavírus (foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
 
A família de um homem de 81 anos que morreu na manhã desta quarta-feira na UPA Oeste, no Bairro Jardim América, prometeu entrar com liminar na Justiça para pedir exames complementares que atestem que ele não morreu de coronavírus. O aposentado Osmar Rodrigues teve óbito confirmado pelos médicos depois de ficar internado por um dia se queixando de fortes dortes em virtude de um quadro de derrame pleural (acúmulo de fluídos que revestem o pulmão e o tórax). Mas o laudo aponta que a causa da morte foi pneumonia, problema renal e suspeita de COVID-19, com insuficiência respiratória.
 
Os familiares, no entanto, negam o fato e alegaram que o paciente havia testado negativo para coronavírus no dia 26 de junho. Ele havia passado pela UPA Oeste na semana anterior, mas voltou a ser internado com fortes dores na região no pulmão e não resistiu.

Em casos de morte por COVID-19, a orientação das autoridades de saúde é para que o velório não seja feito - o corpo deve ir diretamente para o cemitério. A família, que fez Boletim de Ocorrência na Polícia Militar, continua tentando de todas as formas para que Osmar seja velado ainda nesta quinta-feira.
 
Em contato com o Estado de Minas, a Secretaria Municipal de Saúde salientou que foram feitos novos exames para comprovação da COVID-19: "A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que o quadro clínico da paciente, se encaixava como suspeita de COVID-19. Portanto, foi adotado protocolo específico. Foram realizados exames e feita coleta de material para detecção de Covid-19. O resultado ainda é aguardado". 

A Secretária Municipal ainda alega que há um protocolo para casos suspeitos de coronavírus: "Nos casos de óbitos com suspeita de Covid-19, a orientação do Ministério da Saúde é que, nesses casos, seja colocada essa suspeita na declaração de óbito, inclusive para que todos os cuidados de precaução para se evitar contaminações sejam adotados no velório". 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade