Publicidade

Estado de Minas

Rede privada realizou 56% dos testes para COVID-19 em Minas

Secretário de Estado de Saúde Carlos Eduardo Amaral afirmou que rede pública passou a testar indígenas e segue testando grupos prioritários


postado em 03/06/2020 13:46

(foto: Leandro Couri/EM/DA PRESS)
(foto: Leandro Couri/EM/DA PRESS)

 

A baixa testagem da população é apontada por especialistas como um dos gargalos do enfrentamento ao novo coronavírus em Minas. Em entrevista coletiva nesta quarta (3), o secretário de Estado de Saúde (SES), Carlos Eduardo Amaral, afirmou que o governo ampliou o número de testes, mas que mantém a testagem direcionada a grupos prioritários: pacientes internados com suspeita de COVID-19, asilados, restritos de liberdade, profissionais de saúde e de segurança e, mais recentemente, também os indígenas.

 

De acordo com dados fornecidos pela SES, já foram realizados cerca de 51,2 mil testes no Estado desde o início da transmissão comunitária da epidemia. A maior parte deles (56,25%) foi feita por labortórios particulares ligados à rede particular, 28,8 mil testes. Os laboratórios responsáveis pela testagem na rede pública fizeram 22,4 mil testes ou seja 43,75% do total.

 

O secretário lembrou que testes rápidos foram enviados às prefeituras mineiras. Segundo ele, a SES recebeu relatos, não oficiais, que apenas 3% desses testes deram positivos. Carlos Amaral lembrou que os testes rápidos medem a imunidade, ou seja, identificam se a pessoa testada tem anticorpos para o novo coronavírus. Por essa razão, ele lembra que não é um teste de diagnóstico, mas que podem ser usados para realização de inquéritos epidemiológicos.

 

Desde o início da pandemia, em março, a SES recebeu do Ministério da Saúde, 783.960 testes, sendo que a última leva foram 551 mil. O número total de testes previstos para recebimento pelo Estado é de 1 milhão. Os testes vem do MS com o direcionamento para cada município. O secretário Carlos Eduardo Amaral vem afirmando que não é o momento de fazer a testagem em massa da população.  

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade