Publicidade

Estado de Minas ABUSO SEXUAL

#ExposedBH: entenda o movimento que expõe homens abusadores

Dezenas de mulheres usaram as redes sociais para compartilhar violência causada por homens, muitos deles companheiros e namorados das denunciantes


postado em 31/05/2020 13:59 / atualizado em 01/06/2020 09:59

(foto: Pixabay/Divulgação)
(foto: Pixabay/Divulgação)

Centenas de mulheres aderiram às hashtags #ExposedBeloHorizonte e #ExposedBH para denunciar casos de abusos sexuais sofridos na capital mineira. De situações íntimas, os relatos se tornaram uma maneira de as vítimas superarem momentos de agressões que deixam cicatrizes. No entanto, há um debate sobre se as mulheres podem ou não expor as identidades dos abusadores nas redes sociais.


(foto: Twitter/Reprodução)
(foto: Twitter/Reprodução)

 

Além de movimentar o Twitter, elas também criaram um perfil no Instagram para denunciar os abusadores. Depois de centenas de  histórias compartilhadas, a advogada Caroline Carvalhais alertou para os riscos de expor fotos e nomes de abusadores. Ela gravou um vídeo que viralizou na internet.

 

Os relatos apresentam situações de abuso na adolescência. Em muitos casos, quem faz o desabafo diz que nunca tinha falado da situação em outros momentos por medo de represália ou por vergonha. "Isso é algo que praticamente ninguém sabe. Consegui contar apenas para dois amigos, mas só depois de muito tempo."


 

Motivadas pelos relatos publicados, muitas meninas tiveram coragem de contar a própria história. Em muitos casos, os abusos foram cometidos por namorados ou amigos das jovens. Em muitos, os atos foram cometidos em momentos de lazer, nas 'resenhas', quando grupos de amigos se encontram na casa de alguém para conversar e beber.

 

Os relatos também mostram que, em alguns casos, as meninas são induziadas a tomarem bebidas alcoólicas e perdem totalmente a consciência. Em alguns casos relatados, era para ser um encontro com o namorado, mas se torna um momento de violência sexual, quando o homem força a barra para o sexo, mesmo depois de a menina dizer que não queria.

 


Em vídeo divulgado no Twitter, a advogada Caroline Carvalhais   alerta para os riscos de quem faz esse relato no instagram nomes e fotos dos agressores.


 


Segundo a advogaga, também circulou no Whatsapp listas de nomes dos abusadores. Ela parabenizou quem teve coragem de relatar os abusos, mas alertou para eventuais processos. "A última coisa que as vítimas precisam é se tornarem criminosas. Quando você divulga um nome, uma foto e imputa um crime a esse nome, a essa pessoa, você está violando a honra dessa pessoa. Da mesma forma que toda pessoa, toda mulher, tenha direito à liberdade de expressão. Tem direito de relatar qualquer situação. Qualquer caso que ela viveu, toda pessoa tem direito constitucional à imagem", alertou Caroline Carvalhais.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade