Publicidade

Estado de Minas VACINAÇÃO

Postos de BH têm pouca procura na terceira fase da vacinação contra a gripe

Cobertura vacinal prioritária da primeira etapa alcançou 120% e da segunda, 109%. Até o momento, a terceira fase está com 23%


postado em 27/05/2020 17:04 / atualizado em 27/05/2020 17:30

As primeira etapas da Campanha de Vacinação foram positivas em BH(foto: Reprodução/ Internet)
As primeira etapas da Campanha de Vacinação foram positivas em BH (foto: Reprodução/ Internet)
A Prefeitura de Belo Horizonte informou, na tarde desta quarta-feira (27), que, até o momento, a cobertura da terceira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, considerando os públicos-alvo, está em 23% na capital mineira. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a cobertura vacinal prioritária da primeira etapa alcançou 120% e da segunda, um pouco menos, 109%.

Segundo a municipalidade, quem ainda não recebeu a vacina, tem até 5 de junho para procurar um Centro de Saúde para ser imunizado. A vacinação é realizada de segunda a sexta nas unidades de atendimento e em postos extras abertos pela PBH.

Com a terceira etapa da se encerrando, até o momento, desde a abertura no dia 11 deste mês, foram vacinadas apenas 8,3 milhões de brasileiros, correspondendo a 23,22% de 36,1 milhões de pessoas. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 90% dos grupos prioritários, resultado atingido apenas na primeira etapa da ação. Desde o início da campanha, em 23 de março, cerca de 48,7 milhões de pessoas foram vacinadas, restando ainda 29,6 milhões que ainda não receberam a aplicação da vacina.  

Campanha 

A campanha nacional foi dividida em três grandes etapas e em fases diferentes. Na primeira, com início no fim de março, os públicos prioritários foram pessoas acima de 60 anos e trabalhadores da saúde. Foram três fases em datas e para públicos diferentes. Na segunda etapa, também dividida em duas fases, ambas em abril, os povos indígenas, doentes crônicos, profissionais de transporte coletivo (motoristas e cobradores) e portuários.

A terceira e última etapa foi dividida em duas fases: a primeira ocorreu no período de 11 a 17 de maio, com foco nas pessoas com deficiência, crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes e mães no pós-parto (até 45 dias). Nesta segunda fase, que segue até o dia 5 de junho, estão os professores das escolas públicas e privadas, que devem apresentar o crachá funcional para comprovar o vínculo com alguma instituição e os adultos de 55 a 59 anos de idade.

Além de destacar a importância da campanha, a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Francieli Fontana, informou que pessoas que ainda não se vacinaram podem procurar um dos 41 mil postos de saúde espalhados por todo o país durante o período da ação.
 
“A vacina é de extrema importância para reduzir complicações e óbitos decorrentes dos vírus de influenza. Então, é muito importante que os grupos prioritários sejam vacinados”, reiterou.

Segundo o Ministério da Saúde, até o momento, 74,9 milhões de doses da vacina já foram distribuídas aos estados para garantir a imunização do público-alvo da campanha. No total, a pasta investiu R$ 1,1 bilhão na aquisição das doses da vacina para as três fases.

Sem eficácia contra o novo coronavírus (Sars-Cov-2) a vacina contra influenza, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a COVID-19, já que os sintomas são parecidos. E, ainda, ajudará a reduzir a procura por serviços de saúde.
 
*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade