Publicidade

Estado de Minas CENTRO-OESTE

Moradores de lar de idosos de Carmo do Cajuru pegam COVID-19

Testagem foi realizada após a confirmação da morte de um interno pela doença; funcionários também tiveram exame positivo


postado em 20/05/2020 15:58 / atualizado em 20/05/2020 16:34

Os 50 idosos foram divididos em três grupos para compartilhamento dos 31 quartos disponíveis na entidade(foto: Reprodução/ GoogleMaps)
Os 50 idosos foram divididos em três grupos para compartilhamento dos 31 quartos disponíveis na entidade (foto: Reprodução/ GoogleMaps)
Doze dos 50 moradores da Vila Vicentina – lar de idosos – em Carmo do Cajuru, Região Centro-Oeste de Minas, foram diagnosticados com COVID-19. A informação foi divulgada em boletim epidemiológico pela Secretaria Municipal de Saúde. Além deles, quatro funcionários apresentaram teste positivo para a doença.
 
Os exames foram realizados após a confirmação da morte de um idoso, de 88 anos. Ele foi o primeiro a apresentar os sintomas e a ser internado em um hospital de Divinópolis, a cerca de 15 km.

A entidade desconhece como o interno teria se contaminado. “Não temos como afirmar nada sobre como esse vírus teria entrado na entidade. Parece-me que cientificamente é impossível. Mas nem temos recursos para isso”, pontuou o advogado e vice-presidente voluntário, Bruno Shester.
 
As primeiras medidas de prevenção, segundo o vice-presidente, foram adotadas no início de março, a partir da confirmação do primeiro caso em Minas Gerais, registrado em Divinópolis. Desde então, as visitas aos moradores estão suspensas e há controle de higienização de todos os produtos e materiais que entram na entidade. A primeira notificação da doença ocorreu um mês depois.
 
Hoje, os 50 moradores estão em 31 quartos. Como há compartilhamento de dormitórios, os idosos foram divididos em grupos: sintomáticos, assintomáticos e negativos. “Friso que nesta data não temos nenhum morador dentro da Vila com sintomas mais fortes que demandem ser encaminhados a hospital. Mas a doença não nos permite achar que esteja tudo bem nunca”, afirmou  Bruno Shester.

Quartos de madeiras serão construídos no espaço de eventos para reforçar o combate ao vírus.
 
Dos funcionários confirmados, dois estão em isolamento dentro da entidade. “Uma já havia sido confirmada semana passada, está curada e trabalhando normalmente e muito bem”, conta Shester. A outra está assintomática e em confinamento. Os outros dois estão em casa e sendo monitorados pela Secretaria de Saúde.
 

Alojamento provisório

Para evitar a transmissão do vírus de colaboradores para os moradores, um alojamento provisório foi montado ao lado da entidade. Atualmente, 16 estão ficando nele sem acesso externo. "Eles estão muito exaustos, mas corajosos e lutando com todo o amor que podem dar”, destaca Shester.

Reconhecendo as dificuldades impostas pelo momento, o vice-presidente pediu ajuda. “Nossa entidade tem mais de 40 anos e uma história linda. Estamos passando pelo pior momento de sua história”, enfatizou. A demanda principal é por equipamentos de proteção, como luvas, máscaras e álcool em gel.
 
“Gostaria também de deixar aqui um apelo. Que todos reconheçam e respeitem mais os trabalhadores, especialmente nossos funcionários. Muitos foram atacados pelo vírus da discriminação”, completou.
 

Quarentena 

Com o surto da doença, o prefeito de Carmo do Cajuru, Edson Vilela, assinou decreto que coloca a entidade em quarentena até 28 de junho. Serão seguidas diretrizes expressas para entrada e saída de agentes de saúde e vigilância em saúde, bem como materiais de consumo e descarte, visando evitar qualquer contágio externo. 
 
Além dos casos da Vila Vicentina, foram confirmados mais sete novos na cidade de segunda-feira (18) para terça (19), sendo três profissionais da saúde. Conforme o boletim mais recente, já são 36 testes positivos para o novo coronavírus. Deste total, três estão internados. Também foram registrados dois óbitos.
 
Diante dos números, a prefeitura também proibiu a utilização da orla da barragem em toda a extensão para a prática de pesca, armação de tendas, acampamentos, bem como locação de ranchos e sítios com finalidade recreativa.
 
A população também está proibida de frequentar a Prainha, a Pedra do Calhau e o Morro da Cruz por prazo indeterminado.
 
O comércio foi flexibilizado e funciona de segunda a sexta, das 9h às 16h.
 
As doações para ajudar a Vila Vicentina podem ser realizadas via depósito ou transferência bancária.
 
Carmocred
Agência: 3106
Conta Corrente: 2385-0
Banco do Brasil
Agência: 1749-3
Conta Corrente: 9910-4
Obras Assistenciais Padre Augusto Cerdeira
CNPJ: 20.890.067/0001-56


Amanda Quintiliano especial para o EM


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade