Publicidade

Estado de Minas BRUMADINHO

Vale é condenada a pagar R$ 5 milhões à vítima de rompimento de barragem em Brumadinho

Barragem da mineradora se rompeu na cidade da Região Central de Minas Gerais em 25 de janeiro de 2019


08/05/2020 06:38 - atualizado 08/05/2020 11:34

Rompimento de barragem deixou 270 vítimas entre mortos e desaparecidos(foto: Jair Amaral/EM/D. A. Press)
Rompimento de barragem deixou 270 vítimas entre mortos e desaparecidos (foto: Jair Amaral/EM/D. A. Press)
A Vale foi condenada pela Justiça a pagar uma indenização de R$ 5 milhões a uma das vítimas do rompimento da Barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, cidade da Região Central de Minas Gerais, em 25 de janeiro de 2019. A decisão, divulgada na última terça-feira, foi proferida pela juíza Perla Saliba Brito, da 1ª Vara Cível, Criminal e da Infância e da Juventude da comarca do município.

"A excepcionalidade dos fatos exige, portanto, uma quebra de paradigma quanto ao modelo de reparação a ser aplicado nos casos envolvendo o rompimento da barragem no Córrego do Feijão, os quais merecem análise peculiar e única, sem qualquer comparação com outros eventos de proporções diversas", diz trecho da decisão.

A vítima que receberá a indenização perdeu três parentes próximos na tragédia. Pela morte do filho, de um ano, o valor fixado pela Justiça foi de R$ 2 milhões; pela do esposo, de 26 anos, R$ 1,5 milhão; e pela morte da irmã, R$ 1,5 milhão.

O restante da quantia (R$ 1 milhão) se refere a dano estético, moral e material. A sobrevivente sofreu lesões por todo o corpo que acarretarão cicatrizes em locais aparentes e provocaram deformidade no nariz em razão de fraturas. Ela estava em casa com os três parentes quando a barragem da Vale se rompeu.

"Um dos registros mais emblemáticos da tragédia foi o resgate da autora no lamaçal, com o auxílio de uma corda. A cena foi amplamente divulgada na mídia e é chocante. Um mar de lama escorria, levando consigo o que estava à sua frente”, também pontua a juíza na decisão.

O rompimento da Barragem 1 da Mina Córrego do Feijão em janeiro de 2019 matou 259 pessoas, entre trabalhadores da Vale, turistas e moradores da cidade. Outras 11 estão desaparecidas. A empresa foi procurada pela reportagem e disse que ainda não foi intimada da decisão. A mineradora também diz ser sensível à situação das famílias e que dará encaminhamento ao caso, respeitando a privacidade dos envolvidos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade