Publicidade

Estado de Minas

Zema sobre reabertura do comércio: 'Daqui a 10, 15 dias, vamos ver quem está certo'

Governador comparou atuação de Kalil, prefeito de BH, que optou por medidas rígidas, com Betim, que flexibilizou normas. Para Zema, decisão de Medioli é mais acertada


postado em 24/04/2020 11:20 / atualizado em 24/04/2020 11:47

(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
“Veremos quem está certo, se Betim, que abriu um pouco mais, ou Belo Horizonte e Contagem, que restringiram mais. Suponho que a prefeitura de Betim está com a razão”, afirmou o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), em entrevista à Rádio BandNews na manhã desta sexta-feira sobre as medidas tomadas nos municípios da Grande BH em relação às restrições ao comércio. O governador alegou que a taxa de pessoas infectadas pelo novo coronavírus é de 3% e afirmou que o tempo dirá quem está tomando as melhores decisões. “Daqui a 10, 15 dias vamos ver quem está certo”. 

Preocupado com a economia do estado, Romeu Zema demonstrou que planeja priorizar a questão nos próximos dias. “O número de óbitos e de pessoas infectadas manteve-se totalmente estável. O número de infectados é de 55 em média por dia, e o número de óbitos 2,6 em média por dia. É um número que não está subindo e que me deixa com um certo conforto para estar fazendo essa reativação gradual e segura da atividade econômica.” 

O governador afirmou ainda que as subnotificações de casos da doença não são um problema exclusivo do Brasil e citou a China, que recentemente revisou o número de mortes em decorrência da COVID-19 no país, o que resultou em um salto nos números do país de 2,5 mil óbitos para quase 4 mil. “Até em um país fechado, exigente, onde as pessoas quase tem que obedecer de forma obrigatória o governo havia distorção nos números”, afirmou Zema.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que haja ampla testagem de pacientes, o que contribui para que a administração pública tenha uma visão mais real da situação da pandemia. Zema, no entanto, tentou abrandar a situação.  “Isso não me preocupa porque é como se você estivesse fazendo uma dieta para emagrecer e a sua balança acusasse 5 kg a mais. O que interessa é a tendência, não o que ela está marcando e a nossa tendência está segura, mesmo que esteja marcando errado", sustentou.

De acordo com último boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), são 1.419 casos confirmados do novo coronavírus em Minas Gerais e 54 mortes.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade