Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Usiminas anuncia compra de 67 mil máscaras de costureiras e fabricantes locais

Siderúrgica distribuirá maior parte das peças a funcionários e familiares. Empresa anunciou repasse de R$ 6 milhões a cidades do Vale do Aço


postado em 22/04/2020 15:01 / atualizado em 22/04/2020 16:33

A costureira Maria dos Reis Dantas de Almeida é uma das que produziram as máscaras adquiridas pela Usiminas. (foto: Divulgação/Usiminas)
A costureira Maria dos Reis Dantas de Almeida é uma das que produziram as máscaras adquiridas pela Usiminas. (foto: Divulgação/Usiminas)
A Usiminas anunciou que está coordenando a produção de 67 mil máscaras em TNT para tentar ajudar a conter a transmissão do coronavírus. A maior parte – 66 mil peças – será entregue em kits a funcionários da empresa e a seus familiares. Já mil equipamentos serão doados ao setor de hemodiálise do Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, no Vale do Aço. Ao contrário do que era orientado no início da pandemia, agora as autoridades de saúde recomendam o uso de máscaras para todos, e não apenas para quem apresenta sintomas e profissionais de saúde. 

 

As máscaras estão sendo compradas de 56 costureiras, artesãos e pequenos empreendedores do Vale do Aço, Belo Horizonte, Itatiaiuçu, Itaúna e também de Cubatão, em São Paulo, onde a empresa também tem unidade. Além disso, 74 mil máscaras fabricadas por fornecedores locais serão usadas por empregados próprios e terceiros que continuam trabalhando em atividades essenciais da siderúrgica. 

 

Segundo a Usiminas, a escolha pelos trabalhadores locais “busca proporcionar trabalho e renda a pessoas que tiveram suas atividades prejudicadas pela pandemia”, como explica em comunicado. A artesã responsável por desenvolver o modelo da máscara, Adriane Lima, diz que a pandemia de coronavírus trouxe uma “inquietação” de fazer a diferença.
 
“Eu e todos envolvidos estamos muito emocionados com essa possibilidade de poder ajudar muitas pessoas. E, o melhor, além de distribuir um ítem importante para a saúde, a ação está gerando renda para artesãs e costureiras que passam dificuldade econômica”, afirma a artesã, de Ipatinga. 
 
Além de comprar as máscaras dos artesãos para uso dos funcionários, a Usiminas está higienizando vias e locais de grande circulação em Ipatinga e Cubatão. Para frear a transmissão do vírus, a empresa usa uma solução à base de cloro, em uma iniciativa em parceria com as prefeituras desses municípios.
 
A siderúrgica afirma que já distribuiu 40 toneladas de alimentos e produtos de higiene pessoal em comunidades em situação de vulnerabilidade social. Em Ipatinga, a empresa estima que iniciativa beneficie cerca de 1 mil famílias e instituições. 
 
A Usiminas anunciou também o repasse de R$ 6 milhões para cidades do Vale do Aço aplicarem exclusivamente no combate ao coronavírus. Os recursos deverão ser gastos na compra de equipamentos de proteção para profissionais da saúde e “aperfeiçoamento do atendimento pelo SUS”.
 
A companhia explica que o dinheiro vem de uma obrigação determinada por um acordo judicial firmado em 2009. Em um acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT), ficou definido que as cidades da região receberiam o valor. Conforme a empresa, o MPT e as prefeituras vão decidir como o montante será dividido entre os municípios. 
 
*Estagiário sob supervisão do subeditor Eduardo Murta


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade