Publicidade

Estado de Minas RENÚNCIA

Em meio à pandemia, prefeita de Coimbra, no Sul de Minas, renuncia ao cargo

Maria Raimunda dos Santos Martins, conhecida como Diquinha, informou por meio do Facebook da prefeitura que ''enfrentou momentos turbulentos'' e que sentia ''desgaste físico e mental''


postado em 13/04/2020 23:11

Diquinha alegou prejuízos à saúde e dificuldades para reconstruir a cidade após as chuvas para renunciar ao cargo de prefeita(foto: Divulgação/Prefeitura de Coimbra)
Diquinha alegou prejuízos à saúde e dificuldades para reconstruir a cidade após as chuvas para renunciar ao cargo de prefeita (foto: Divulgação/Prefeitura de Coimbra)

 

Depois da renúncia do prefeito de Varginha, no Sul de Minas Gerais, no último dia 6, a prefeita Maria Raimunda dos Santos Martins (PHS), de Coimbra, na mesma região do estado, também deixou o cargo nesta segunda-feira (13).

 

Em postagem publicada na página oficial da prefeitura no Facebook, Diquinha, como é conhecida Maria Raimunda em Coimba, disse que o "atual momento de incertezas" diante da pandemia do novo coronavírus pesou na escolha.

 

Ela também citou as dificuldades para reconstruir a cidade depois das chuvas que arrasaram o Sul de Minas no início do ano, sobretudo em janeiro.

 

"Alguns episódios têm afetado de maneira drástica a minha pessoa, causando desgaste físico e mental, resultando em complicações de minha saúde, algo que vem se tomando cada vez mais intenso”, explicou a ex-prefeita.

 

Diquinha também deixou uma mensagem para a população de Coimbra que a elegeu. "Ao povo de Coimbra só tenho a agradecer pela confiança e pelo carinho. Rogo a todos que compreendam este momento de decisão", escreveu.

 

Outra renúncia

 

Além de Coimbra, Varginha ficou sem seu prefeito recentemente. Antônio Silva (PTB) deixou o cargo um dia após revogar o decreto que permitia a reabertura de parte do comércio da cidade.

 

A autorização para o retorno das atividades foi alvo de questionamentos do Ministério Público, organizações da área de saúde e autoridades sanitárias, tais como a Associação Médica, comissão de enfrentamento ao Covid-19, Conselho Municipal de Saúde e a Superintendência Regional de Saúde.

 

"Não sou prefeito, apenas estou prefeito, mas, nas atuais circunstâncias e por razões de foro íntimo, reconheço não ter condições de continuar administrando a prefeitura (...). Relembrando as palavras do Apóstolo Paulo, posso afirmar que 'combati o bom combate', terminei a carreira, guardei a fé, e encerro a minha missão com a consciência do dever cumprido", disse Antônio Silva via comunicado.

 

Com informações de Cecília Emiliana 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade