Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Em ação contra o coronavírus, Fernão Dias libera 700 cortesias de pedágio

Iniciativa no Sul de Minas tenta reduzir uso de notas de dinheiro nas cabines para ampliar segurança a motoristas e agentes


postado em 01/04/2020 15:50 / atualizado em 01/04/2020 19:13

(foto: Divulgação/Arteris Fernão Dias)
(foto: Divulgação/Arteris Fernão Dias)
Uma parceria entre a Arteris Fernão Dias e a Veloe, operadora de pagamento automático de pedágio, vai beneficiar 700 motoristas que trafegarem pela Rodovia Fernão Dias, que liga São Paulo a Belo Horizonte. Numa ação de combate ao coronavírus, a administradora distribuirá cortesias na praça de pedágio de Cambuí e no posto de pesagem em São Sebastião da Bela Vista, ambos no Sul do estado. A iniciativa garantirá que os motoristas tenham isenção de 12 mensalidades na taxa de pedágio, sem qualquer custo na adesão e nem fidelidade.

A medida tenta estimular o uso da cobrança automática e diminuir o fluxo nas cabines manuais, protegendo assim os condutores e funcionários da empresa, que têm de lidar com dinheiro e moedas durante toda a jornada de trabalho. Desta forma, os motoristas passam pela área reservada sem precisar parar durante o trajeto. O preço do pedágio na rodovia é de R$ 2,40 em todos os trechos que ligam Belo Horizonte a São Paulo.

O motorista que retirar a tag da parceira Veloe precisa fazer a validação pelo site https://veloe.com.br/, para ter direito à isenção ao pedágio.

Além da parceria com a Veloe, a Arteris Fernão Dias já havia dado cortesia a mais 1 mil condutores na praça de pedágio em Mairiporã (SP) e posto de pesagem de São Sebastião da Bela Vista (MG) em parceria com a ConetCar. 

RESTAURANTES E POSTOS ABERTOS
 
A empresa que administra a Fernão Dias também divulga, de segunda a sexta-feira, um boletim informando os postos de combustíveis e serviços disponíveis para caminhoneiros ao longo da BR-381, entre Contagem e São Paulo.  

Ao longo do trecho concedido da Fernão Dias, mais de 100 postos estão em operação a partir desta terça-feira (31). Durante o período de pandemia do coronavírus, motoristas de carretas se queixaram de que faltavam postos, restaurantes e oficinas abertas, já que a maioria dos empresários aderiu à paralisação para evitar aglomerações de pessoas. 

Segundo a empresa que administra a rodovia, pelo menos 70 postos ofereceram serviços de refeição com restrições de prevenção. Muitos dispõem de área para descanso, vestiários com chuveiros gratuito e suporte de manutenção aos veículos. A relação de postos e estabelecimentos comerciais pode ser vista em www.arteris.com.br/caminhoneiro.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade