Publicidade

Estado de Minas

Protesto contra buracos e crateras fecha rodovia na Zona da Mata

Manifestação é liderada por um consórcio de municípios da região, preocupada com a situação de risco para quem trafega no trecho


postado em 11/03/2020 10:14 / atualizado em 11/03/2020 10:28

(foto: Ciesp/Divulgação)
(foto: Ciesp/Divulgação)

A BR-267, entre Bicas e Juiz de Fora, teve o tráfego interrompido por causa de um protesto organizado pelo Consórcio Intermunicipal de Especialidades (Ciesp).

O protesto começou às 8h20 e, durante 1 hora, alertou sobre a situação crítica do leito da rodovia, repleta de buracos e crateras, que aumentam o perigo de acidentes e põem em risco a vida de quem passa pelo trecho.

 

Cerca de 200 pessoas participaram da manifestação. Trinta e quatro veículos, inclusive ônibus, barraram a passagem de um lado para o outro. Mais de 200 carros, ônibus e caminhões ficaram retidos em fila.

 

Uma faixa foi estendida de um lado ao outro da estrada, impedindo a passagem de veículos. Carros portaram cartazes reclamando da omissão do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Segundo o Ciesp, que integra 11 municípios da Zona da Mata, mais de 10 ofícios já foram enviados ao  Dnit, que alegou má execução de obras da empresa contratada para tapar os buracos e que uma nova licitação será realizada.

(foto: Ciesp/Divulgação)
(foto: Ciesp/Divulgação)


Wellington Rodrigues, presidente do Ciesp, informou que "a gente vai entrar com ação judicial (...). O objetivo é sensibilizar as autoridades federais para a situação caótica em que se encontra a BR (...).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local do protesto mas não interveio para liberar a passagem de carros, ônibus e caminhões. O protesto foi encerrado às 9h20, quando os veículos puderam seguir viagem.

(foto: Ciesp/Divulgação)
(foto: Ciesp/Divulgação)

 

(Com informações do repórter Marcos Alfredo)

 


Publicidade