Publicidade

Estado de Minas

Novo coronavírus: apreensão chega e passageiros em Confins já usam máscara de proteção

Minas Gerais tem, oficialmente, cinco casos suspeitos da doença, espalhados por Belo Horizonte (três), Montes Claros e Juiz de Fora, mas outras prefeituras também já falam sobre quadros clínicos em suspeição


postado em 27/02/2020 21:42 / atualizado em 11/03/2020 10:52

O casal Josiane Kluak e Gustavo Triaca usou máscaras para andar pelo terminal do Aeroporto de Confins nesta quinta-feira (27)(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
O casal Josiane Kluak e Gustavo Triaca usou máscaras para andar pelo terminal do Aeroporto de Confins nesta quinta-feira (27) (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)

O medo diante da explosão de casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil chegou ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os primeiros passageiros com máscaras já são vistos no local.


É o caso do casal de gaúchos – o psicólogo Gustavo Triaca, de 27 anos, e a representante de vendas Josiane Kluak, de 41 –que veio a Minas Gerais para passar o carnaval em Ouro Preto.


“Hoje, ainda em Ouro Preto, ficamos sabendo que já são 132 casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil. São cinco ameaças em Minas. Mas, está pior no Rio Grande do Sul, que tem 24 casos suspeitos” diz Gustavo.




“Antes de vir para BH e Confins, decidimos nos proteger. Saímos e compramos as máscaras antes de deixar o hotel. A contaminação pode acontecer em qualquer lugar, ônibus, aeroporto, avião etc.”, fala Josiane.


Em Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Saúde contabiliza cinco casos suspeitos da doença: três em Belo Horizonte, um em Montes Claros (Norte de Minas) e outro em Juiz de Fora (Zona da Mata).


No entanto, outras cidades já falam sobre casos suspeitos. Uma delas é Varginha, no Sul de Minas, onde três pessoas de uma mesma família foram internadas em um hospital de referência em Pouso Alegre, na mesma região.


Nesta quinta-feira (27), a Saúde estadual disse que espera uma explosão de casos suspeitos justamente pelos diagnósticos confirmados em países com maior trânsito de brasileiros, como a Itália.


Desse país europeu veio o único caso confirmado do Brasil, um morador de 61 anos de São Paulo, que estava a trabalho na terra da pizza.


Aeroporto se manifesta


Diante dos casos suspeitos, a BH Airport, concessionária responsável pelo Aeroporto de Confins, informou que “segue todas as orientações do Ministério da Saúde, por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em relação à contenção do coronavírus”.


A BH Airport também informou que “opera seguindo os protocolos internacionais previstos para casos como esses, com colaboradores treinados e equipados, e faz parte de um grupo de trabalho, que reúne autoridades envolvidas, para que as medidas necessárias sejam tomadas conjuntamente”.


Entre as recomendações da Anvisa, a concessionária ressalta que a agência pede para que os aeroportos notifiquem imediatamente casos suspeitos em seus terminais e intensifiquem “os procedimentos de limpeza e desinfecção e utilização de equipamentos de proteção individuais (EPIs)”.


Além disso, o aeroporto já conta com sensibilização das equipes do posto médico do aeroporto e avisos sonoros”.

 

A informação sobre o protocolo de segurança do Aeroporto de Confins foi noticiada, inicialmente, pelo jornal Hoje em Dia.


Publicidade