Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende três pessoas que vendiam celulares roubados no carnaval de BH

Homens foram flagrados pelas câmeras de segurança da Polícia Militar, vendendo os aparelhos na Rua Curitiba, no Centro da capital mineira


postado em 27/02/2020 16:17 / atualizado em 27/02/2020 17:45

Prisões ocorreram na Rua Curitiba, na Região Central de BH(foto: Reprodução/Google Street View)
Prisões ocorreram na Rua Curitiba, na Região Central de BH (foto: Reprodução/Google Street View)

Policiais militares prenderam três vendedores de celulares que teriam sido roubados durante o carnaval. O suspeitos foram flagrados pelo programa “Olho Vivo” da corporação, que monitora o fluxo de pessoas nas ruas de Belo Horizonte. A prisão ocorreu na Região Central da capital mineira, na tarde desta quinta-feira.

De acordo com o tenente Bruno, da 6ª Companhia do 1º Batalhão de Polícia Militar, por volta das 15h, policiais que acompanham as câmeras de segurança distribuídas pelo Centro de BH avistaram os homens vendendo celulares ilegalmente na Rua Curitiba, próximo ao Terminal Rodoviário.

No momento em que um homem tentava comprar um dos aparelhos, os policiais chegaram ao local e abordaram os vendedores. Ainda segundo o tenente que acompanhou a ocorrência, os suspeitos portavam seis celulares, sendo que os agentes constataram que, ao menos quatro, eram fruto de roubos. Além disso, três aparelhos teriam sido furtados durante a folia.
 
Durante a abordagem, os suspeitos confessaram que estavam vendendo os celulares, mas alegaram não saber da origem ilícita dos aparelhos. No entanto, vender produtos sem nota fiscal é crime, de acordo com a Lei 8.137, de 1990.

“Negar ou deixar de fornecer, quando obrigatório, nota fiscal ou documento equivalente, relativa a venda de mercadoria ou prestação de serviço, efetivamente realizada, ou fornecê-la em desacordo com a legislação” é crime”, dispõe a lei.

Por volta das 16h, a ocorrência ainda estava em andamento.
 
* Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.  


Publicidade