Publicidade

Estado de Minas

Norte-americano procurado pela Interpol é preso pela PF no Sul de Minas

O homem, de 48 anos, é suspeito de cometer o crime em 2013. Ele fugiu para o Brasil e se casou com uma brasileira. No fim do mês passado, o homem agrediu a esposa brasileira em Pouso Alegre, onde estava morando


postado em 18/02/2020 20:39 / atualizado em 18/02/2020 20:44

O homem, de 48 anos, é suspeito de matar a própria esposa(foto: Divulgação/Polícia Federal)
O homem, de 48 anos, é suspeito de matar a própria esposa (foto: Divulgação/Polícia Federal)
Um norte-americano foragido da Interpol (Polícia Internacional) foi preso na tarde desta terça-feira (18) em Pouso Alegre, Sul de Minas. A prisão foi realizada pela Polícia Federal, com o apoio da Polícia Militar. Ele foi preso no bairro Jardim Vergani, área urbana, mas afastado do Centro, bairro de classe média.
 
O homem, de 48 anos, é suspeito de matar a própria esposa no estado americano da Louisiana, em 2013. Depois do crime, ele fugiu para o Brasil, se casou com uma brasileira e estava morando em Pouso Alegre. No último dia 31 de janeiro, o norte-americano agrediu a companheira brasileira. 
 
De acordo com o delegado regional da Polícia Civil, Renato Gavião, após comparecer na delegacia por conta do crime de violência doméstica, por se tratar de um cidadão norte-americano, decidiu comunicar o fato à Polícia Federal de Varginha, que repassou para a superintendência de Belo Horizonte.
 
O americano preso hoje estava com difusão vermelha junto à Interpol, o que significa que era um dos mais procurados do mundo. A prisão ocorreu após o Supremo Tribunal Federal (STF) emitir um mandado judicial de prisão para fins de extradição.
 
Segundo informou autoridades dos Estados Unidos à PF, em 2013, o homem teria assassinado a esposa e ocultado o corpo, que nunca foi encontrado. Ainda de acordo com as investigações da polícia americana, há evidências substanciais de sua autoria no cometimento do assassinato da esposa, além de longo histórico de abusos e violências praticados contra a companheira, que já havia obtido, inclusive, medidas protetivas judiciais contra o marido naquele país.
 
Segundo o FBI informou à PF, duas semanas após o crime, o homem pegou um voo com destino a São Paulo. No Brasil, casou-se com uma brasileira, obtendo permissão de residência no país.
 
Na tentativa de obter refúgio, forneceu declarações falsas de que foi agente das forças especiais do contraterrorismo americano, além de simular perseguição política nos EUA.
 
Depois de preso e passar por exame de corpo de delito, o preso foi conduzido para o presídio de Pouso Alegre, onde ficará à disposição da suprema corte brasileira até que seja autorizada sua extradição para os estados unidos, onde prestará contas à justiça daquele país.
 
(Magson Gomes, especial para o EM)
 


Publicidade