Publicidade

Estado de Minas

Barragem de usina hidrelétrica transborda em Monjolos, Região Central de Minas

Cidade sofreu com inundação por causa de transbordamento e famílias tiveram que ser retiradas


postado em 25/01/2020 15:32 / atualizado em 25/01/2020 22:07

Inundação por causa de transbordamento de barragem em Monjolos(foto: Victor Maia/Divulgação )
Inundação por causa de transbordamento de barragem em Monjolos (foto: Victor Maia/Divulgação )
 

Moradores da pequena Monjolos, de 2,36 mil habitantes, na região Central do estado, enfrentaram o medo e tiveram que sair rapidamente de suas casas neste  sábado. O motivo da apreensão e da correria foi que a barragem da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Serra das Agulhas, construída no Rio Pardo Pequeno,  15 quilômetros acima da cidade, não resistiu o grande volume de chuvas e transbordou.

 

Embora  a empresa Ômega Energia, responsável pelo empreendimento, garante que o que houve foi um “transbordamento”, devido às chuvas intensas, a noticia que chegou na manhã deste sábado em Monjolos – e que foi divulgada em grupos de whatsapp,  foi que a barragem tinha “rompido”, o que provocou apreensão entre os moradores. 

 

O prefeito de Monjolos, Geraldo Maia (SD), disse que a Prefeitura agiu rápido e que a situação está sob controle, sem maiores consequências. Não houve registro de vítimas.  De acordo com Maia, assim que tomou conhecimento do fato ocorrido na reservatório, a Prefeitura, com o apoio do Corpo de Bombeiros, montou uma força-tarefa e retirou 12 familias das áreas próximas do Rio Pardo Pequeno. 

 

Na tarde deste sábado,  o prefeito disse que, até então, apenas duas famílias moradoras “perto do barranco do rio” tiveram suas casas inundadas. Geraldo Maia informou que não houve descida de grande volume do reservatório “de uma vez”, o que permitiu que fosse feita a tempo a evacuação da parte baixa, perto do Rio Pardo Pequeno, em Monjolos. “O nível do rio aumentou muito. Mas, a água está chegando aos poucos”, argumentou o chefe do executivo. 

 

Para amenizar os riscos, as   famílias saíram de  suas casas rapidamente, deixando nas moradias móveis e outros pertences. Elas foram levadas para uma escola municipal da cidade, onde recebem alimentação por parte da prefeitura. 

 

Localizada entre os municípios de Diamantina e Monjolos, a hidrelétrica de Serra das Agulhas entrou em operação em abril de 2017, com uma capacidade instalada de 30 MW. De acordo com o processo de licenciamento, o reservatório da usina tem uma capacidade para armazenar 396.106 metros cúbicos e o espelho d água ocupa uma área de 65 hectares, o equivalente a 65 campos de futebol. 

 

O prefeito Geraldo Maia informou que a Ômega está contribuindo  no auxílio aos atingidos, colocando um helicóptero à disposição para ser usado no ações preventivas. 

 

De acordo com o prefeito Geraldo Maia, uma ponte foi danificada na estrada entre Monjolos e Diamantina, interrompendo a passagem de veículos. Com isso, para irem a Diamantina,  os moradores de Monjolos precisam fazer um desvio até a Curvelo, que aumenta a distância em 135 quilômetros. 

 

O Rio Pardo Pequeno, onde a barragem transbordou, deságua  no Rio da Velhas,  em um ponto 17 quilômetros da cidade de Santo Hipólito. O Volume do Velhas aumentou muito nos últimos dias devido, principalmente, à  intensidade das chuvas na Região Metropolitana. O Ribeirão Arrudas e o Ribeirão Onça, que cortam a Capital, deságuam no Rio das Velhas, afluente do Rio São Francisco.

 

Empresa informa que cumpre plano de emergência

 

Procurada pela reportagem, na tarde deste sábado, a empresa Ômega Energia, por meio de nota, informou que, diante das previsões da alta intensidade das chuvas em Minas Gerais,, nos últimos dias, mobilizou suas equipes e alertou as autoridades para as medidas a serem adotadas em casos de aumento das vazões nas suas unidades de geração de energia no estado, seguindo o seu Plano de Ação Emergencial (PAE).

 

A empresa a informou que devido à “chuva recorde” da madrugada deste sábado, houve um “transbordamento” do reservatório da PCH Serra das Agulhas, elevando o nível do Rio Pardo Pequeno. Mas, que a empreendedora atua em conjuntom as autoridades, seguindo o plano de ação emergencial, “com  objetivo de garantir seu cumprimento e manter os níveis de segurança nele previstos.”

 

A nota da Ômega Energia na íntegra:

 

 “Nos últimos dias o estado de Minas Gerais tem sofrido com chuvas de alta intensidade e longa duração levando a volumes acumulados que representam as máximas históricas medidas. Uma das razões para tal intensidade é a tempestade subtropical Kurumi. Desde que nossos meteorologistas identificaram tal fenômeno e riscos associados, colocamos nossas operações de PCHs em Minas Gerais em alerta máximo mobilizando equipes e as autoridades competentes para atuarem em caso de aumento significativo de vazões, conforme previsto no Plano de Ação Emergencial (PAE) das plantas. Por conta do chuva recorde da madrugada deste sábado (25), ocorreu um transbordamento do reservatório da PCH Serra das Agulhas, levando a aumento de vazão do Rio Pardo Pequeno. Diante do cenário, a Omega seguiu executando as atividades do PAE em conjunto com as autoridades, com o objetivo de garantir seu cumprimento e manter os níveis de segurança nele previstos.”


Publicidade