Publicidade

Estado de Minas

Bares da Praça da Savassi retiram cerveja Belorizontina do cardápio

A cerveja foi retirada pela maioria dos estabelecimentos e guardada em estoque


postado em 10/01/2020 18:51 / atualizado em 10/01/2020 19:13

Rond Gasper, proprietário do 80 Bar localizado na praça, afirma que viu a necessidade de retirar a cerveja do cardápio após a polêmica(foto: Alexandre Guzanshe/EM)
Rond Gasper, proprietário do 80 Bar localizado na praça, afirma que viu a necessidade de retirar a cerveja do cardápio após a polêmica (foto: Alexandre Guzanshe/EM)
Os bares da Praça da Savassi, lugar boêmio de Belo Horizonte, já começaram a retirar a cerveja Belorizontina do cardápio. Na tarde da última quinta-feira a Polícia Civil e a vigilância sanitária informaram, que após perícia em amostras de cerveja da marca Backer, foi encontrada uma substância tóxica compatível com os quadros clínicos desenvolvidos por 10 pessoas. 

Rond Gasper, proprietário do ‘80 Bar’ localizado na praça, afirma que viu a necessidade de retirar a cerveja do cardápio após a polêmica. “As pessoas vieram ontem e todo mundo falava muito disso. Hoje, fui ao supermercado e estão vendendo a Belorizontina muito mais barato do que o normal e ninguém pega e acho que nunca mais vai pegar. Eu, por exemplo, não tenho mais coragem”, conta. “Alterei meu cardápio. Já que não vou comprar mais, mudei”, finalizou. 

O empresário também afirma que a cerveja sempre foi o “carro-chefe” entre as cervejas artesanais. “Das artesanais do meu cardápio, a Belorizontina sempre foi a mais vendida”, diz. “Não acho que seja por levar o nome da cidade, ou por ser uma cerveja artesanal popular, mas sim pelo custo benefício que sempre foi o melhor”, concluiu. 

Mesmo após polêmica, Patricia Ourives resolveu tomar uma Belorizontina em uma cafeteria na Savassi(foto: Alexandre Guzanshe/EM)
Mesmo após polêmica, Patricia Ourives resolveu tomar uma Belorizontina em uma cafeteria na Savassi (foto: Alexandre Guzanshe/EM)
Patrícia Ourino cliente fiel da marca, afirma que confia 100% na Backer. "Não tenho problema nenhum em abrir uma Belorizontina aqui. O lote não é o que está sendo recolhido, não tem porque não tomar. Confio 100% na empresa”, disse. 

A administradora hoteleira contou que a Belorizontina está entre suas cervejas favoritas. “Nunca arriscaria minha vida para tomar uma cerveja. Se eu estou aqui bebendo é porque realmente confio na marca. Eles nunca deram problema.”
 
A maioria dos estabelecimentos retirou a cerveja de circulação e espera que a empresa recolha o estoque nas próximas 24 horas. 
 
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) determinou na tarde desta sexta-feira a interdição da cervejaria Backer. “Diante do risco iminente à saúde pública, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizou, como medida cautelar, o fechamento da Cervejaria Backer, fabricante da cerveja Belorizontina. Na mesma oportunidade, foram determinadas ações de fiscalização para a apreensão dos produtos que ainda se encontram no mercado”, afirmou em nota. 
 
*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz



Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade