Publicidade

Estado de Minas

Doença desconhecida está além do Buritis e atinge ao menos sete pessoas em Minas

Segundo nota técnica da Saúde estadual, quadros são de insuficiência renal aguda de evolução rápida (em até 72 horas), seguida de uma ou mais alterações neurológicas


postado em 07/01/2020 00:02 / atualizado em 09/01/2020 16:14

Imagem meramente ilustrativa: sintomas gastrointestinais são comuns no início da doença (foto: Reprodução/Pxhere)
Imagem meramente ilustrativa: sintomas gastrointestinais são comuns no início da doença (foto: Reprodução/Pxhere)

 

quadro clínico mais comentado em grupos de WhatsApp nos últimos dias, principalmente entre moradores do Bairro Buritis, na Região Oeste de Belo Horizonte, já é comum a pelo menos sete pacientes em Minas Gerais. É o que garante nota técnica da Secretaria de Estado de Saúde.


Segundo a nota do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs-Minas), os sintomas de insuficiência renal aguda de evolução rápida (em até 72 horas) somada a alterações neurológicas já atingem cinco moradores de Belo Horizonte, um de Ubá (internado em Juiz de Fora), na Zona da Mata e o sétimo em Nova Lima, na região metropolitana.


Entre as alterações neurológicas apresentadas pelos pacientes, o documento destaca: paralisia facial, borramento visual, amaurose (perda da visão parcial ou totalmente), alteração de sensório e paralisia descendente.


Os pacientes apresentam um ou mais desses sintomas, segundo o documento da saúde pública. No início, conforme a nota, também sentem sintomas gastrointestinais (náusea e/ou vomito e/ou dor abdominal)

          Leia também: Cervejaria vai acionar na Justiça autor de boato em redes sociais


A nota técnica do órgão de saúde se dirige aos profissionais de saúde de Minas Gerais. O documento recomenda que a equipe médica que se deparar com esses sintomas em algum paciente comunique, imediatamente, o Cievs-Minas.


O objetivo da nota técnica é o “esclarecimento diagnóstico” e a “busca de novos casos”.

 

Exames laboratoriais estão sendo realizados na Fundação Ezequiel Dias (Funed) para definição exata da doença. 


Perfil dos doentes


Dados apurados pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs-Minas) constam que os sete pacientes catalogados até a publicação desta matéria são todos do sexo masculino.


A idade deles, no entanto, varia bastante: a média é de 49 anos, mas há pacientes entre 23 e 76 anos.


Dos sete internados, seis estão em hospitais da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Outro está em Juiz de Fora. Todos apresentaram os sintomas a partir de dezembro último.


Entre os enfermos, a média de dias entre início dos primeiros sintomas e a internação foi de 2,5 dias, conforme o documento.



Publicidade