Publicidade

Estado de Minas

ANM fará nova vistoria em barragem de Congonhas após transbordamento

Defesa Civil informa que não houve dano na estrutura da barragem. Transbordamento atingiu a captação de água e cerca de 2 mil moradores do Bairro Pires estão com abastecimento prejudicado


postado em 23/12/2019 09:10 / atualizado em 23/12/2019 12:34

Na foto, Santuário do Bom Jesus do Matozinhos, em Congonhas (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press )
Na foto, Santuário do Bom Jesus do Matozinhos, em Congonhas (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press )

A Agência Nacional de Mineração (ANM) fará uma nova inspeção na Barragem de Josino, em Congonhas, Região Central de Minas, após um transbordamento registrado na sexta-feira durante um temporal. A estrutura é da empresa Ferro + Mineração S.A. 

De acordo com o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador da Defesa Civil de Minas, não houve dano na estrutura da barragem. "A barragem permanece com a estrutura garantida. Uma vistoria de forma preliminar e superficial verificou que apenas houve o transbordamento. É uma barragem pequena. Vamos aguardar o relatório da AMN de hoje para tomar as medidas", disse.
No relatório divulgado ontem, a agência afirmou que não aconteceu rompimento na barragem. A ANM explicou que a barragem foi construída pelo método a jusante, tem 9 metros de altura e 16,6 metros cúbicos. Na Política Nacional de Segurança de Barragens, a Barragem de Josino está classificada com  Categoria de Risco baixa e Dano Potencial Associado Médio. 

A ANM disse ainda que a empresa Ferro Mineração S.A enviou, em setembro deste ano, a Declaração de Condição de Estabilidade e, segundo extrato de inspeção regular enviado no último dia 5, a barragem não possuía anomalias.

Procurada pela reportagem, a empresa Ferro Mineração S.A. disse que está "colhendo as informações técnicas" para se posicionar.

Abastecimento de água

De acordo com a Prefeitura de Congonhas, o transbordamento da barragem foi causado por uma tromba d'água por volta das 16h dessa sexta-feira. Na ocasião, foram registrados 120 milímetros em apenas uma hora e meia de chuva e os sedimentos chegaram a fechar parte parte da BR-040, mas logo em seguida, a rodovia foi liberada. 

Os sedimentos da barragem chegaram até a nascente, prejudicando o abastecimento de água. Cerca de 2 mil moradores do Bairro Pires, que é cercado por mineradoras, estão com abastecimento prejudicado. A prefeitura recomenda apenas o uso de água potável. O abastecimento está sendo feito por caminhões pipa.

Por meio de nota, a Copasa afirmou o abastecimento de água já foi restabelecido, mas a disse que mineradora está realizando a limpeza dos canais e das caixas d’água da população.

A empresa também informou que devido ao grande volume de chuva na localidade desde a última sexta-feira, ocorreu carreamento de material da mineradora que opera na região para o Córrego Cordeiros, responsável pelo abastecimento da localidade, ocasionando o assoreamento da barragem e elevando a turbidez da água distribuída.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade