Publicidade

Estado de Minas

Falso promotor é preso por aplicar golpes em Minas; veja detalhes do crime

O homem já tem diversos antecedentes criminais. Ao menos, 200 pessoas foram vítimas do estelionatário nos últimos quatro meses


postado em 17/12/2019 14:39 / atualizado em 17/12/2019 14:48

Homem se passava or promotor do Ministério Público de Minas Gerais(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Homem se passava or promotor do Ministério Público de Minas Gerais (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

Conseguir ou facilitar aposentadorias em troca de auxílio para custear os processos. Essas eram as promessas feitas por Eliverdson de Paula Lucas Silva, 50 anos, para atrair vítimas de estelionato. O homem, segundo investigações da Polícia Civil, se passava por promotor do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Ele foi preso em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A suspeita é que ele tenha praticado o golpe contra, ao menos, 200 pessoas.

O investigado já é conhecido da polícia, com uma longa ficha criminal. Segundo as investigações, ele passava por promotor dava falsa promessa às vítimas de conseguir e ou facilitar aposentadorias em troca de auxílio pecuniário para as “custas do processo”.

Para dar mais credibilidade ao golpe, ele atraía as pessoas a prédios do Poder Judiciário, Fóruns e Tribunal de Justiça. Nos imóveis, simulava audiências e despachos. De acordo com as investigações, o homem falsificava carimbos e assinaturas de advogados para forjar “procurações” e ter acesso a processos judiciais em curso

Extensa ficha criminal


O falso promotor já é conhecido no meio policial. Ele já tem uma longa ficha criminal. O golpe era praticado por ele desde 2007, segundo as investigações. Por meio das redes sociais, utilizava perfil falso com diversas fotos do Ministério Público e da Polícia Civil. “Ao conversar com as pessoas, ele alegava ser a 'instituição policial responsável por sua proteção', informou o MPMG.

A prisão de Eliverson aconteceu na última sexta-feira. Na casa dele, foram apreendidos documentos falsificados, carimbos de advogados e médicos, receitas médicas, carteiras de trabalho, carteiras com brasões utilizadas para aplicar golpe e certa quantia em dinheiro. O homem está preso preventivamente no  presídio Professor Jason Albergaria, em São Joaquim de Bicas, na Grande BH.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade