Publicidade

Estado de Minas

Barragem de água é vistoriada ao apresentar problemas após chuva em Datas

De acordo com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) a estrutura foi vistoriada e não corre mais risco de rompimento


postado em 11/12/2019 16:02 / atualizado em 11/12/2019 17:18

O reservatório está localizado em uma fazenda em Datas(foto: Google Street View/Reprodução)
O reservatório está localizado em uma fazenda em Datas (foto: Google Street View/Reprodução)

O excesso de chuva que atingiu a Região Central de Minas Gerais levou risco de rompimento a uma barragem particular localizada em uma fazenda de Datas. O nível de água represado na estrutura, construída para utilização na agricultura, subiu e provocou danos. Técnicos da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) fizeram uma análise, e parte da água foi retirada. Os riscos foram minimizados, segundo o órgão.

A estrutura está sendo monitorada desde terça-feira. Na manhã desta quarta-feira, técnicos da Defesa Civil ainda faziam a verificação na barragem. Segundo o tenente-coronel Flávio Godinho, Coordenador Adjunto de Defesa Civil, a represa foi criada por um fazendeiro que utiliza a água na agricultura.

“Um fazendeiro fez uma represa de água para a utilização em agricultura. Lá, temos plantação de batatas, morango e milho. Com as chuvas, elevou muito o nível de água. Por causa disso, estivemos lá ontem (terça-feira) com engenheiro da prefeitura e técnico do Igam e já foi feito todos os apontamentos”, comentou.

O Corpo de Bombeiros detectou rachaduras no barramento de água e  carreamento de parte do barramento em um ponto onde há um escoamento. Depois da primeira visita, o responsável pelo local conseguiu drenar aproximadamente um metro de água da estrutura, que tem aproximadamente 140 mil metros cúbicos de água. “Agora, o que tem de água é em torno de 50 centímetros. A situação está controlada e não há risco de rompimento da barragem”, afirmou Godinho.

Abaixo da estrutura existem três casas, sendo que uma delas está vazia. Segundo o tenente-coronel, os moradores das outras residências foram contatadas. Ele afirma que não há necessidade de evacuação.


Publicidade