Publicidade

Estado de Minas

Ônibus da Buser bate em caminhão e motorista morre na BR-381

Veículo fretado por aplicativo saiu de São Paulo (SP) com destino a Belo Horizonte na noite passada. No Sul de Minas, houve uma colisão traseira. Passageiros suspeitam que motorista passou mal ao volante


postado em 13/11/2019 08:34 / atualizado em 13/11/2019 13:15

Foto enviada do local do acidente mostra cenário após a colisão na BR-381(foto: Divulgação)
Foto enviada do local do acidente mostra cenário após a colisão na BR-381 (foto: Divulgação)


O motorista de um ônibus de uma empresa parceira da Buser, serviço de fretamento de viagens por aplicativo, morreu em um acidente na madrugada desta quarta-feira na BR-381, perto de Estiva, no Sul de Minas Gerais. O condutor tinha 64 anos. Nenhum passageiro sofreu ferimentos graves, mas alguns tiveram que ser levados para um hospital. Este é o primeiro acidente grave envolvendo um veículo ligado ao aplicativo desde o início das atividades da empresa.

Segundo uma passageira que pediu para não ser identificada, o veículo do tipo cama-bus, saiu de São Paulo (SP) com destino a Belo Horizonte às 22h30 dessa terça. Eram 26 passageiros, entre eles dois idosos e uma criança.  “O motorista era super legal, deu chocolates para todo mundo, brincalhão”, contou. “Quando deu 1h da manhã, a gente ouviu um barulhão. Como estávamos muito atrás, sentimos um tranco menor. Tem umas cadeiras que ficam bem na frente e chegaram a amassar perto dos pés das pessoas. Muita gente estava sem cinto, porque quando você se deita não fica com cinto. Algumas pessoas se machucaram, cortaram o pé, torceram o pé. Um ficou com hematomas na barriga por causa do cinto. Uma menina ficou em estado de choque e foi até socorrida primeiro”, explicou. 

O veículo havia batido na traseira de um caminhão. Os passageiros conseguiram sair e viram que o motorista estava caído sobre o painel. O homem morreu na hora. De acordo com a passageira, o auxiliar dele e outros ocupantes tentaram tirá-lo do veículo, mas não conseguiram. Outras pessoas também alertaram que ele não poderia ser movido. “Foi horrível”, pontuou. 

“O ônibus entrou na traseira desse caminhão. Para se ter ideia, a gente sentiu o tranco da batida e depois o ônibus sendo levado para o acostamento. Provavelmente o motorista já estava morto, mas quem levou a gente para o acostamento foi o caminhão arrastando o ônibus”, detalhou.  “A gente não sabe se ele dormiu, passou mal ou o que foi. Mas as pessoas que entraram lá disseram que ele estava completamente prostrado sobre o painel, nem em uma posição de quem se assustou. Por isso, algumas pessoas pensaram que ele pode ter passado mal”, contou. O caminhoneiro não se feriu e disse que seguia normalmente quando houve a colisão.

A primeira equipe que chegou ao local foi da Autopista Fernão Dias, concessionária responsável pela rodovia, que confirmou a morte do condutor e atendeu os passageiros. Uma equipe do Corpo de Bombeiros também compareceu ao local para socorrer as vítimas. “O pessoal da Buser começou a mandar mensagens para nós pelo WhatsApp, falando que já estavam sabendo, mandando a gente ficar calmo. O atendimento deles foi bom, só um pouco demorado porque como acho que nunca tinha acontecido eles não estavam muito preparados”, comentou. 

Madrugada na estrada


Os passageiros ficaram na estrada até por volta das 4h30 aguardando transporte. Os bombeiros chegaram a providenciar viaturas para retirá-los do acostamento, mas foi tempo suficiente para que a empresa de transporte enviasse táxis para conduzir os passageiros a um restaurante próximo. De lá, eles foram embarcados em outro ônibus para seguir viagem. 

A passageira ouvida pelo Estado de Minas disse que as malas ficaram presas no ônibus acidentado e a Buser prometeu entregá-las em casa.

A Autopista Fernão Dias informou que o acidente ocorreu no km 879 e confirmou que os dois passageiros que precisaram de atendimento hospitalar sofreram apenas lesões leves. No início da manhã, o trânsito já havia sido liberado. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou o acidente, que deve ser investigado pela Polícia Civil.

Resposta da Buser


Por meio de nota, a Buser lamentou a morte do motorista e informou que ela e a empresa PraiaTur, proprietária do veículo, estão prestando atendimento aos envolvidos. Ao contrário da Autopista, a Buser afirma que eram 26 passageiros e seis precisaram ser levados ao hospital. Leia o posicionamento na íntegra: 

"É com profundo pesar que a Buser comunica o falecimento de Divino Egídio dos Reis, motorista da empresa parceira PraiaTur, vítima de um acidente ocorrido na madrugada desta quarta-feira (13), na rodovia Fernão Dias, nas proximidades de Pouso Alegre/MG.

Na ocasião o veículo que realizava o trecho São Paulo-Belo Horizonte chocou-se contra a traseira de uma carreta. Dos 26 passageiros, seis sofreram escoriações leves. Três já tiveram alta, seguindo ao seu destino em outro veículo providenciado pela Buser. Outros três seguem em observação, fora de perigo.

A Buser e a PraiaTur seguirão prestando atendimento aos envolvidos e atualizando todos os interessados, por meio de seus canais de comunicação, a respeito dos desdobramentos do ocorrido. 

Passageiros e motoristas estão cobertos pelos seguros contratados tanto pela companhia de transporte quanto pela Buser, que prestarão a devida assistência e se solidarizam com amigos e familiares da vítima."

A assessoria de imprensa da Buser também ressaltou que a plotagem do veículo é parte de uma ação de marketing. A empresa não possui ônibus, realizando apenas a conexão entre as transportadoras e passageiros. A PraiaTur é uma empresa que atua junto ao aplicativo para realizar o transporte de passageiros por meio de fretamento, conforme a Buser, que também informou que inspeciona se todas as empresas parceiras cumprem as normas de segurança.


Publicidade