Publicidade

Estado de Minas

Explosão em fábrica de fogos de artifício que matou um em Minas é investigada

Um homem, de 41 anos, morreu e um jovem, de 25, ficou ferido; Ele deverá ser transferido para o Hospital João XXIII


postado em 17/10/2019 18:21 / atualizado em 17/10/2019 18:30

Fumaça proveniente da explosão pôde ser vista em diferentes pontos da cidade(foto: Kátia Batista)
Fumaça proveniente da explosão pôde ser vista em diferentes pontos da cidade (foto: Kátia Batista)

Um homem, de 41 anos, morreu carbonizado e um jovem, de 25 anos ficou ferido, após explosão em uma fábrica de fogos de artifício, nesta quinta-feira (17), em Santo Antônio do Monte, Região Centro-Oeste. As causas do acidente ainda estão sendo investigadas.

Segundo informações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a equipe médica encontrou o homem, de 41 anos, já sem vida. Já o jovem, de 25 anos, sofreu queimaduras de primeiro e segundo grau em cerca de 38% do corpo.  Ele foi encaminhado por terceiros para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Santo Antônio do Monte e posteriormente, transferido, pelo Samu, para a Sala Vermelha do Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD), em Divinópolis.

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, o estado de saúde do jovem é estável e ele foi avaliado pela cirurgia. O CSSJD também informou que entrou em contato com o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, unidade referência em tratamento de queimaduras, para solicitar uma vaga para o paciente, que deverá novamente ser transferido.

As causas da explosão ainda não foram identificadas e serão investigadas(foto: Kátia Batista)
As causas da explosão ainda não foram identificadas e serão investigadas (foto: Kátia Batista)


Pesar


Em nota, a Associação Mineira dos Empresários da Pirotecnia (AME) e o Sindicato das Indústrias de Explosivos do Estado de Minas Gerais (SINDIEMG), informaram que se solidarizam com as famílias das vítimas recentes dos acidentes nas fábricas de fogos de artifício. “Os acontecimentos mostram uma realidade que deve ser encarada com seriedade por todo setor e ressalta a importância das ações sistemáticas de segurança do trabalho realizadas pelo Sindiemg, AME e Fiemg”, divulgaram.

Além disso, as entidades afirmaram que, com o objetivo de que toda cadeia de produção de fogos de artifício evolua, inclusive no quesito segurança, a programação da Feira Nacional de Pirotecnia (Fenapi), evento realizado pelas duas instituições e previsto para começar nesta sexta-feira (18), será mantida. “Reiteramos nosso pesar e reforçamos que vamos continuar a trabalhar para que o setor pirotécnico seja mais seguro”, concluíram. (Marcelo Lopes especial para o EM)


Publicidade