Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Bombeiros resgatam sino e crucifixo de escombros da igreja destruída pelo fogo em Diamantina

Destruição da capela erguida no século XIX comoveu os moradores da região; polícia ainda investiga causas do incêndio


postado em 06/10/2019 19:50 / atualizado em 06/10/2019 20:15

(foto: Márcia Betânia/divulgação)
(foto: Márcia Betânia/divulgação)


Bombeiros
resgataram um sino entre os escombros da Igreja de Santa Rita de Cássia, no distrito de Sopa, em Diamantina. O templo no Vale do Jequitinhonha foi destruído por um incêndio de grandes proporções na tarde de sexta-feira (4/10). Da construção física, sobraram apenas as paredes. Outros objetos foram retirados das cinzas, como um crucifixo. A perícia da Polícia Civil ainda investiga o que provocou o incêndio. O primeiro laudo técnico deve ser apresentado em 30 dias.

A devastação da capela construída no início do século 19 comoveu os moradores de Sopa, que fizeram uma celebração ao ar livre neste domingo (6/10) ao lado das paredes que restaram da igreja. O ato litúrgico foi presidido por um seminarista de Diamantina, com a participação de cerca de 200 pessoas. “A destruição da igreja foi uma perda muito grande para nós. Toda a comunidade ficou abalada”, lamentou o auxiliar de serviços gerais Ailton da Conceição Mendes, um dos moradores que participaram da celebração.

No sábado (5/10), o distrito recebeu a visita do arcebispo de Diamantina, dom Darci José Nicioli, que viu de perto a destruição provocada pelas chamas. Conforme Ailton da Conceição, o arcebispo prometeu para os moradores que a Mitra Diocesana vai empreendedor todos os esforços para a reconstrução da capela.

Os bombeiros entraram no interior do templo atingido pelo incêndio e recuperaram vários objetos no meio das cinzas. Um deles foi o sino. Conforme a secretária municipal de Cultura e Turismo de Diamantina, Márcia  Betânia Oliveira Horta, o sino é datado de 1936 e tem uma inscrição com informação de que foi fundido em Itabirito, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

(foto: Márcia Betânia/divulgação)
(foto: Márcia Betânia/divulgação)


A secretária disse que também foram encontrados outros objetos, como castiçais, vasos e o turíbulo – recipiente de metal usado para queimar o incenso. Em exercício de fé, moradores apanharam as cinzas do sacrário (local usado para colocar as hóstias) para colocar em plantas. Márcia Betânia disse que, após a retirada dos objetos foi providenciado o escoramento das paredes que restaram da construção histórica. Enquanto aguarda o resultado da perícia sobre as causas do incêndio, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Diamantina iniciou os trabalhos para tentar agilizar a reconstrução da histórica  igreja de Sopa. O templo passou por ampla reforma em 2015. “Vamos procurar empresas da região para levantar os recursos”, anunciou Márcia Betânia, acrescentando que o município também deverá manter contatos com órgãos públicos como o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG) o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

(foto: Márcia Betânia/divulgação)
(foto: Márcia Betânia/divulgação)


“O custo das obras ainda terá que ser levantado pelos engenheiros da prefeitura”, comentou. A secretária de Cultura e Turismo de Diamantina disse que também não sabe se na reconstrução serão recuperadas características originais da igreja. “Essa é uma questão que será decidida após discussão com a comunidade, com a Mitra Diocesana e com o Iepha-MG”, argumentou.


Publicidade