Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Trailer de lanches despeja resíduos em boca de lobo no Bairro Prado

Veículo tem cano conectado à saída de água na Rua Erê, uma das primeiras que inunda com as chuvas que alagam a Avenida Francisco Sá


postado em 30/09/2019 06:00 / atualizado em 30/09/2019 08:42

Tubulação sai do veículo direto para a boca de lobo. A reportagem não conseguiu encontrar nem obter contato com o responsável(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Tubulação sai do veículo direto para a boca de lobo. A reportagem não conseguiu encontrar nem obter contato com o responsável (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)


A limpeza de galerias e bocas de lobo sofre com um inimigo implacável: o descarte ilegal de lixo e de detritos. A reportagem do Estado de Minas encontrou grandes quantidades de lixo dispensadas próximas a áreas de alagamento onde já houve perdas de vidas e prejuízos, como nas avenidas Prudente de Morais, na Cidade Jardim (Região Centro-Sul) e Francisco Sá (Região Oeste). O desleixo da população em relação ao lixo se mantém, apesar de configurar crime ambiental com multa de R$ 5.564,82 para quem descarta os resíduos de forma inadequada e de R$ 180,22 para depósito de lixo doméstico fora do horário de recolhimento.

Na quinta-feira e na sexta-feira, uma grande quantidade de lixo estava estacionada sobre bueiros e nas canaletas de vazão superficial das 22 ruas que descem para a Avenida Francisco Sá no trecho mais crítico, abaixo da Avenida Amazonas. A via, que fica num vale sobre a canalização subterrânea do Córrego dos Pintos alaga com frequência. O lixo descia em  enxurradas das partes altas, ingressando nas galerias.

(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Um dos casos mais flagrantes de descaso era o de um trailer de fast food que fica estacionado na Rua Erê – uma das primeiras que inunda com as águas de chuvas provenientes da Francisco Sá – e que descarrega seus resíduos por uma tubulação diretamente na boca de lobo local. A reportagem não conseguiu encontrar nem obter contato com o responsável. 

Na Avenida Prudente de Morais, também se observa lixo fora de horário de coleta e espalhado em alguns pontos, que podem ser arrastados para as drenagens e depois as entupir, gerando alagamentos e enxurradas. E não há previsão de obras no curto prazo para esses corredores. “(As avenidas) Prudente de Morais, Francisco Sá, Silva Lobo e Barão Homem de Melo têm recursos assegurados para projetos que estão na Sudecap (Superintendência de Desenvolvimento da Capital) na fase de contratação”, disse o secretário municipal de Obras e Infraestrutura, Josué Valadão.

O secretário diz esperar não ter problemas em duas dessas áreas críticas. No Barreiro, na Região do Tirol, devido à bacia de contenção que foi concluída. E na região do Bairro Liberdade, na Pampulha,  onde foi concluída outra bacia, “que trará alívio para o Jaraguá e do Bairro Aeroporto, onde enchentes eram constantes”, destacou. 


Publicidade