Publicidade

Estado de Minas

Homem denuncia seguranças da UFMG por agressão no campus; DA aponta racismo

Homem contou aos policiais que foi até a Faculdade de Letras da UFMG para se matricular no curso de inglês. Segurança ficou desconfiado e disse que ele estava 'fingindo ser estudante para roubar alunos'


postado em 29/09/2019 14:33 / atualizado em 29/09/2019 17:07

Foi feito um relatório de ocorrência com a segurança interna do campus, e a polícia foi acionada para que pudesse ser feito um boletim de ocorrência(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 27/09/2019)
Foi feito um relatório de ocorrência com a segurança interna do campus, e a polícia foi acionada para que pudesse ser feito um boletim de ocorrência (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 27/09/2019)
Um homem de 32 anos procurou a polícia para denunciar seguranças da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) por agressão na tarde desse sábado. Quatro seguranças teriam o mobilizado com um golpe de mata-leão e deferido diversos chutes. O Diretório Acadêmico da Letras divulgou uma nota de "absoluto" repúdio ao método de abordagem dos seguranças. O DA classifica ação como racista.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, a vítima contou aos policiais que foi até a universidade para se matricular em um curso de inglês na Faculdade de Letras quando foi abordado por um segurança que pediu sua identificação. O denunciante acredita tratar-se do chefe da segurança, já que ele estava com uniforme diferenciado.

Em resposta à abordagem, o rapaz teria esclarecido que era ex-aluno e que iria se matricular em um curso do Centro de Extensão da Faculdade de Letras. Outros três seguranças se aproximaram. E, desconfiados, da versão do jovem, disseram: "você está fingindo ser estudante para roubar alunos." e "vamos colocar você para fora."

Depois disso, na versão da vítima aos policiais, os ânimos se exaltaram e começaram as agressões. Um dos seguranças deferiu um mata-leão e, posteriormente, outro segurou suas pernas. Ele contou aos policiais que foi chutado diversas vezes.

Foi quando alunos e funcionários que estavam no campus ouviram os gritos do homem. Muitos começaram a gravar a cena. O homem contou que um dos seguranças pegou da mão de um dos alunos um celular onde estava sendo gravado e jogou no chão. Depois disso, o homem foi solto pelos seguranças.

A ocorrência foi registrada como "agressão" no início da noite e foi encerrada na Delegacia da Polícia Civil da Região Noroeste.

Diretório Acadêmico se manifesta


A Gestão Bagagem, em nome do Diretório Acadêmico Carlos Drumond de Andrade divulgou uma nota para esclarecer os fatos ocorridos ontem na Faculdade de Letras. De acordo com o posicionamento, "um jovem negro foi vítima de agressão e racismo por parte dos seguranças do prédio."

Foi feito um relatório de ocorrência com a segurança interna do campus (DLO), e a polícia foi acionada para que pudesse ser feito um boletim de ocorrência.

Segundo o DA, diversas instâncias institucionais já foram contatadas, e todas as medidas imediatas foram tomadas. "Existem provas audiovisuais, além de diversas testemunhas que presenciaram o fato. Estamos acompanhando o caso, e conforme o andamento do mesmo atualizaremos através de notas", informou.

"Expressamos nessa nota, em nome do Diretório Acadêmico da Letras, do Diretório Central dos Estudantes, do Movimento Negro da UFMG, e das pessoas que presenciaram e estão acompanhando o caso total e absoluto repúdio ao método de abordagem dos seguranças, e estamos acompanhando o caso para que todas as medidas cabíveis sejam tomadas para que não tenhamos mais acontecimentos como esse", finalizou.

O Estado de Minas entrou em contato por e-mail com a assessoria de imprensa UFMG, mas, até a publicação desta matéria, não teve retorno.


Publicidade