Publicidade

Estado de Minas

Polícia ouve e libera fotógrafo denunciado por estupro

A Polícia Civil informou que vai ouvir outras testemunhas nos próximos dias


postado em 20/09/2019 18:16 / atualizado em 20/09/2019 19:29

A vendedora decidiu expor o que aconteceu nos storys da rede (foto: Instagram/reprodução)
A vendedora decidiu expor o que aconteceu nos storys da rede (foto: Instagram/reprodução)


O fotógrafo denunciado por abuso sexual por uma vendedora foi ouvido pela Polícia Civil. O depoimento foi prestado nesta quinta-feira, mesmo dia em que ele foi liberado. A informação foi confirmada nesta sexta-feira pela assessoria da corporação. O delegado responsável pelo caso ainda vai ouvir outras testemunhas no inquérito que apura os fatos. 

O caso veio à tona depois que a vítima postou um relato nas redes sociais. Uma vendedora de 26 anos afirmou no início da semana ter sido dopada e estuprada durante uma sessão de fotos, no Bairro Santa Lúcia, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Ela afirmou que tinha hematomas e sangue na vagina, dores na pélvis e no corpo todo. A vítima passou por exames de corpo de delito, segundo a PC.

A mulher teria feito uma parceria com o fotógrafo, que em troca da sessão de fotos, faria a divulgação do trabalho dele. Ao chegar na casa do fotógrafo, por volta das 16h, ele ofereceu a ela um drinque com vodka para diminuir a timidez da jovem. Na casa, estavam também os familiares do fotógrafo, porém, segundo a vendedora, em outros cômodos. 

Depois de um tempo, mais à vontade com a câmera, ela disse que teria apagado, surgindo a suspeita de que ele a teria dopado. Os familiares, ainda segundo a vítima, procurou o contato da mãe, pedindo que ela viesse buscar a jovem, pois eles teriam afirmado que ela estaria alcoolizada. 

Na sua conta do Instagram, ela disse ainda que recebeu várias mensagens de outras mulheres, relatando que sofreram abusos e assédios sexuais do mesmo profissional. 
 
*Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie 
 
 
 
 
 


Publicidade