Publicidade

Estado de Minas

Sequestradores de bancário comentam crime em carro de app e são presos em BH

No domingo, gerente de banco em São Gonçalo do Pará e outros dois familiares foram raptados dentro de casa. Nesta madrugada, motorista de app pediu ajuda à PM após ouvir passageiros falando do crime no veículo. Um deles tem 17 anos


postado em 10/09/2019 11:01 / atualizado em 10/09/2019 12:54

Suspeitos foram encontrados depois que motorista parou em um posto de combustíveis na Pampulha(foto: Reprodução da internet/Google Maps)
Suspeitos foram encontrados depois que motorista parou em um posto de combustíveis na Pampulha (foto: Reprodução da internet/Google Maps)


Dois homens de 23 e 26 anos e um adolescente de 17 foram detidos na madrugada desta  terça-feira suspeitos de envolvimento no sequestro de um bancário e familiares dele no domingo, em São Gonçalo do Pará, Centro-Oeste de Minas. Segundo a Polícia Militar (PM), eles foram localizados em Belo Horizonte após falarem do crime durante uma corrida no carro de um aplicativo. O motorista se assustou e chamou a polícia. 

Segundo a Polícia Militar, tudo começou com uma denúncia de roubo repassada pela rede de rádio da corporação. O crime teria ocorrido sob o Viaduto São Francisco, na Pampulha. A vítima deu características do criminoso e a direção de fuga. 

Uma das viaturas que fazia rastreamento passou pela Rua Major Delfino de Paula, onde o veículo foi abordado por um pedestre que pediu ajuda. Ele disse que trabalha como motorista de um aplicativo e que havia parado o carro em um posto de combustíveis após desconfiar que seria assaltado pelos passageiros. O homem suspeitava que um estava armado. 

Os policiais foram ao local e encontraram o veículo vazio e com o capô aberto. Os suspeitos foram encontrados perto dele e o mais velho tentou resistir à abordagem. 

De acordo com a PM, o motorista contou que recebeu um pedido de corrida no Bairro Novo Tupi, Região Norte de BH. Ao chegar ao endereço, uma mulher se aproximou, mas os três rapazes apareceram, entraram no carro no lugar dela e mandaram ele seguir viagem. Um deles segurava algo na cintura e também houve o envio de áudios pelo celular falando de um sequestro. Assustado, o motorista parou no posto e, para tentar pedir socorro, simulou uma pane no carro, abriu o capô e saiu correndo. Foi quando encontrou os policiais. 

Os suspeitos disseram que queriam comprar gasolina para buscar um veículo em Ibirité, na Grande BH, mas não deram detalhes do carro. Um celular e um relógio foram apreendidos com eles. 

Suspeitos reconhecidos


Diante da suspeita, policiais foram ao encontro do bancário de 38 anos, levado de casa com o pai e o irmão na noite do último domingo. Ele contou que o tempo todo estava encapuzado dentro do carro onde era mantido refém pelos sequestradores, no entanto, teve a sensação de que o carro saiu de uma via não pavimentada para uma pavimentada, momento em que uma roda foi danificada. Essa informação batia com o que o motorista do aplicativo ouviu da conversa do trio em Belo Horizonte. 

Os PMs de BH enviaram fotos dos suspeitos aos policiais de São Gonçalo do Pará, que as apresentaram às vítimas. Eles reconheceram o adolescente e o homem de 23 anos como autores do sequestro. Conforme a Polícia Militar, consta no boletim de ocorrência que eles acabaram confessando e disseram que o objetivo deles era roubar o banco onde o gerente trabalha no interior de Minas. 

Ainda segundo a polícia, eles ainda tentaram oferecer vantagem indevida aos policiais. A equipe também foi à casa do adolescente em BH, onde foi apreendida uma pistola calibre 765. O trio foi levado à Delegacia Especializada de Orientação e Proteção ao Adolescente (Dopcad).

No início da tarde, a assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que o caso ainda estava na Dopcad, mas que o flagrante dos três detidos será ratificado. 


Publicidade