Publicidade

Estado de Minas

Polícia Civil prende jovem de 20 anos com mais de dois mil comprimidos de ecstasy em BH

Também foram localizadas 15 porções de maconha, uma porção de haxixe, três balanças de precisão e diversos sacos plásticos


postado em 06/09/2019 11:44 / atualizado em 06/09/2019 12:34

Chamou a atenção da polícia o fato que o suspeito armazenava quatro
Chamou a atenção da polícia o fato que o suspeito armazenava quatro "tipos" de ecstasy (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)


A Polícia Civil prendeu em flagrante um jovem de 20 anos suspeito de traficar ecstasy no Bairro Jardim Vitória, na Região Região Nordeste de Belo Horizonte. De acordo com a corporação, foram encontrados com ele 2.545 comprimidos da droga de formatos diversos, 15 porções de maconha, uma porção grande de haxixe, três balanças de precisão e diversos sacos plásticos utilizados para embalar drogas

A investigação começou há um mês por meio de uma denúncia. "Recebemos a informação de colaboradores. Ele morava com os pais no Bairro Dom Silvério (Região Nordeste). Mas, os pais não aguentavam mais a rotina do filho e o comportamento estranho. Foi então que o jovem alugou um apartamento e decidiu morar sozinho", explicou responsável pelo caso, Thiago Saraiva. 

Após diligências, a polícia chegou ao apartamento do suspeito na última quarta-feira. "É um apartamento típico de quem trafica drogas. O lugar tem poucos móveis, conta apenas com uma cama, um armário e uma televisão no quarto. No armário, encontramos a mochila com as drogas", disse.

O suspeito não estava em casa no momento da apreensão. "Já tinha mapeado os lugares onde frequentava. Quando chegamos, ele tinha acabado de sair. Nós o encontramos em um salão de cabeleireiro junto com alguns amigos. Inicialmente, tentou sair de fininho ao perceber a movimentação da polícia", acrescentou. Entretanto, ele foi preso.

De acordo com a polícia, ele negou a relação com tráfico. Mas, ao ser confrontado, optou por permanecer em silêncio e responder apenas em juízo. Chamou a atenção da polícia o fato de que o suspeito armazenava quatro "tipos" de ecstasy – o que pode indicar teor de drogas diferente ou tipos de fornecedores. "Encontramos ecstasy da marca 'Sky', da cor azul, 'Bob Esponja', da cor amarela, vermelha e gold, da cor branca", acrescentou.

As investigações continuam para descobrir onde as drogas eram fabricadas e para quem eram vendidas.


Publicidade