Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende suspeito que estava foragido após crime bárbaro contra idoso em Minas

Dois criminosos torturaram e queimaram um homem de 65 anos, depois enterraram a vítima no quintal da casa dela, próximo a um pé de limão. Antes de fugir, suspeitos ainda fizeram limonada. Eles levaram cerca de R$ 70, que seria usado para comprar uísque falsificado


postado em 27/08/2019 14:07 / atualizado em 27/08/2019 19:04

Corpo de Luiz Antônio Emery da Fonseca, foi localizado em sua residência com sinais de violência(foto: TV Alterosa/Reprodução)
Corpo de Luiz Antônio Emery da Fonseca, foi localizado em sua residência com sinais de violência (foto: TV Alterosa/Reprodução)

Foi preso nesta terça-feira o segundo suspeito de matar friamente um idoso em Divinópolis, na Região Centro-Oeste de Minas. Pablo Henrique Araújo de Melo, de 19 anos, estava foragido. Ele é um dos suspeitos de torturar e queimar Luiz Antônio Emery da Fonseca, de 65 anos.
 
Pablo estava na casa de um amigo quando foi encontrado pela polícia. Ele, inicialmente, negou os crimes, mas depois confessou a participação do crime.  

O idoso, que estava desaparecido há mais de uma semana, foi encontrado morto na última sexta-feira em sua residência. O outro suspeito, Morenilson Santos de Almeida, de 18 anos, havia sido preso no sábado. 

As investigações apontam que a dupla é responsável por queimar o idoso dentro do banheiro da residência. Depois, enterraram o corpo próximo a um pé de limão no quintal da casa onde o aposentado morava, no Bairro Jardim das Acácias.


Morenilson ainda contou que depois de enterrar a vítima sentiu sede. Ele pegou alguns limões na árvore onde havia escondido o corpo, fez uma limonada e se refrescou antes de fugir.

As investigações ainda mostram que os suspeitos roubaram R$ 20 que estavam no guarda-roupa da vítima e sucatas que ele guardava em casa. Eles venderam o material por R$ 53. Com o dinheiro, a dupla pretendia comprar uma garrafa de uísque falsificado.
 
Pablo e Morenilson já haviam sido apreendidos pela polícia enquanto menores. O primeiro, como maior de idade, já havia sido preso por roubo, enquanto o outro não tinha passagens pela polícia. 

Delegado regional Leonardo Pio explicou detalhes da crueldade de criminosos(foto: Filiphe Valverde/TV Alterosa/Reprodução)
Delegado regional Leonardo Pio explicou detalhes da crueldade de criminosos (foto: Filiphe Valverde/TV Alterosa/Reprodução)

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade