Publicidade

Estado de Minas

Festa termina em tiroteio e linchamento na zona rural de Manhumirim

Crimes ocorreram no fim da tarde de domingo. Após atirar na cabeça de um desafeto, idoso foi linchado por conhecidos da vítima. Um outro homem foi baleado


postado em 26/08/2019 09:59 / atualizado em 26/08/2019 12:34

Manhuaçu, na Zona da Mata(foto: Reprodução da internet/Facebook/Prefeitura de Manhuaçu)
Manhuaçu, na Zona da Mata (foto: Reprodução da internet/Facebook/Prefeitura de Manhuaçu)


Uma festa na zona rural de Manhumirim, na Zona da Mata, terminou em tragédia na tarde desse domingo. Uma antiga rixa entre vizinhos resultou em um homicídio seguido de linchamento. Sete pessoas foram presas, segundo a Polícia Militar (PM). 

Os crimes ocorreram na comunidade de Córrego Harmonia, onde um bar recebia uma comitiva que participou de uma cavalgada no município. Conforme a PM, foi apurado que Antônio Gomes Leite, de 67 anos, e Jeferson Correa Portugal, de 30, eram inimigos há muitos anos e que o mais velho havia jurado o rapaz de morte. 

No meio da festa, Antônio sacou um revólver 38 e atirou na cabeça de Jeferson. Após o disparo, algumas pessoas seguraram o idoso, que fez mais um disparo e atingiu um homem de 44 anos na coxa esquerda. Um grupo de pessoas acabou linchando Antônio. 

Quando a PM chegou ao local, o corpo do idoso estava perto de uma cerca de arame e com um tronco de madeira sobre a cabeça. Ele sofreu esmagamento de crânio, conforme o perito da Polícia Civil que trabalhou no local. As pessoas que participavam da cavalgada já não estavam no local, somente os parentes de Jeferson. Ele foi levado para o Hospital de Manhumirim, onde morreu. O outro homem baleado também foi atendido e liberado. 

De acordo com a PM, o filho contou que Antônio suspeitava que Jeferson havia furtado gado na casa dele em setembro do ano passado. 

Durante o registro da ocorrência, os policiais receberam uma denúncia anônima com os nomes dos envolvidos no linchamento, entre eles o homem que foi baleado na perna. A arma do crime estaria com um deles. Os policiais acabaram localizando o suspeito, que os levou até onde estava o revólver, com três cartuchos deflagrados e um intacto. Ele foi conduzido à Delegacia Regional de Manhuaçu, juntamente com os demais envolvidos, por fraude processual e porte ilegal de arma de fogo.


Publicidade