Publicidade

Estado de Minas

Menino de 5 anos morre asfixiado por carga de feijão em Paracatu

Pai e colega transferiam os grãos de uma caçamba para outros compartimentos quando o menino caiu na carga sem ser visto


postado em 23/08/2019 11:14 / atualizado em 23/08/2019 15:02

Menino foi levado ao Hospital Municipal de Paracatu, onde a morte foi confirmada(foto: Reprodução da internet/Google Maps)
Menino foi levado ao Hospital Municipal de Paracatu, onde a morte foi confirmada (foto: Reprodução da internet/Google Maps)


Uma tragédia marcou a tarde dessa quinta-feira na zona rural de Paracatu, no Noroeste de Minas Gerais. Um menino de 5 anos morreu ao cair dentro de uma caçamba com uma carga de feijão. Ele chegou a ser levado ao Hospital Municipal, mas o óbito foi confirmado pela equipe médica. 

O acidente ocorreu na fazenda onde a família mora. O pai contou à Polícia Militar (PM) que fazia o baldeamento de grãos de feijão do compartimento de carga para os bags, quando pediu que um rapaz tomasse conta do menino e do irmão mais velho dele, de 7 anos, enquanto ajudaria um vizinho que reclamava de falta d'água. 

Ao voltar para o local onde deixou os filhos, viu o homem procurando o filho mais novo em meio à carga de feijão. Quando o menino foi encontrado, ele havia ingerido grãos de feijão e estava desacordado. 

À PM, o rapaz que achou o menino disse que não havia ficado com os cuidados das crianças, confirmou que viu o pai dos meninos sair para ajudar os vizinhos, e que as crianças estavam em uma do compartimento de carga de feijão e que chamou a atenção delas para que descessem. 

Ao ver que as crianças não estavam lá, ele acionou a biga de escoamento de grãos para encher os bags. Foi quando ouviu os gritos do menino mais velho dizendo que o irmão estava imerso na carga. Depois de muito esforço, ele conseguiu resgatar a criança, que foi levada ao Hospital Municipal de Paracatu. Segundo a polícia, a médica plantonista disse que o menino deu entrada com diagnóstico de asfixia. Ela tentou reanimá-lo, mas sem sucesso. 

A Pollícia Civil informou que instaurou um inquérito para apurar o caso. Quatro pessoas já prestaram depoimento. Mas, mais detalhes só serão repassados após o fim das investigações para não atrapalhar os trabalhos da polícia. 


Publicidade