Publicidade

Estado de Minas

A história dos bolinhos que enfeitam BH com arte há 10 anos

O Estado de Minas conversou com a artista que criou e mantém vivos os bolinhos espalhados por todos os cantos da cidade


postado em 08/08/2019 15:53 / atualizado em 08/08/2019 22:26



Tudo começou quando a estudante de letras, Maria Raquel, hoje com 33 anos, atravessava a cidade de ônibus para ir para o câmpus da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), na Região da Pampulha. Ela sempre foi apaixonada com o grafite

O percurso diário dentro do coletivo, ela fazia debruçada na janela observando as artes coloridas que decoravam muros, viadutos e espaços públicos da capital.  "Eu sempre me perguntava: ‘o que que é isso que essa pessoa faz? Por que que ela pintou isso aqui? Será que  mora aqui perto?’. Queria que as pessoas tivessem as mesmas curiosidades comigo”, recorda Raquel.

Do devaneio para a realidade foi um pulo. "Resolvi criar algo que fosse a minha cara. Como sempre gostei de confeitaria, achei que o cupcake tinha uma forma legal. Assim nasceu o bolinho”, conta a artista. 

Dez anos se passaram. Hoje o Bolinho acumula não só uma legião de fãs, de todas as idades, como também estampa mais de 40 tipos de produtos à venda. “ Com o tempo, as pessoas foram querendo ter um bolinho em casa não só em forma de pintura. Aí surgiram produtos do bolinho, como canecas, cadernos, adesivos… e por aí vai”, conta Raquel, que hoje vive com a renda do Bolinho.

Para comemorar a primeira década da arte que enfeita BH, a criadora, em parceria com a galeria de arte Quartoamado, montou uma programação especial ao longo de todo o mês de agosto. "Pensamos em um mês de coisa legais. Começa com a exposição", disse. Quem visitar o espaço,vai fazer uma viagem no tempo e rever os bolinhos mais marcantes neste período, descobrir, vendo esquetes e caderninhos de desenhos antigos, como é o processo de criação da artista, além de poder registra o momento ao lado do simpático bolinho numa sala instagramável.


Exposição do Bolinho
Galeria de Arte Quartoamado
R. Antônio de Albuquerque, 384 - Savassi

(foto: Reprodução/vídeo)
(foto: Reprodução/vídeo)


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade