Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende suspeitos de sequestro de criança planejado na penitenciária

Em Florestal, o sequestro durou 18 horas e os bandidos levaram carrinhos e até videogame para o menino se entreter no cativeiro


postado em 08/08/2019 11:22 / atualizado em 08/08/2019 13:27

Os suspeitos de sequestraram criança de sete ano foram presos (foto: Jair Amaral/EM/DA PRESS)
Os suspeitos de sequestraram criança de sete ano foram presos (foto: Jair Amaral/EM/DA PRESS)
Quatro homens e dois adolescentes foram presos suspeitos de sequestrarem  uma criança de 7 anos em Florestal, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O sequestro durou dois dias e os bandidos pediram R$300 mil para a liberação do garoto. No cativeiro, a polícia encontrou carrinhos, máscaras de super-herois e até videogame, aparentemente para entreter o menino sequestrado.

A suspeita é que o crime tenha sido comandado de dentro da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem. As informações foram repassadas em coletiva de imprensa da Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (08).

De acordo com a Polícia Civil, o sequestro ocorreu em 19 de junho. Nessa data, por volta de 8h, dois homens surpreenderam a empregada doméstica enquanto ela retirava o lixo da casa. Com uma submetralhadora e uma garrucha, eles entraram na residência. Foi por volta de 10h que o empresário do ramo imobiliário, pai da criança, chegou em casa. Por volta das 11h, a criança e a mãe chegaram. A família ficou rendida por seis horas.

Por volta de 12h, os sequestradores deixaram a residênciq em um carro Renault Logan levando a criança para um cativeiro em Pequi, a 40 km de Florestal. "Lá, os bandidos exigiram - mediante grave ameaça -  a quantia de R$300 mil. Ela foi mantida refém por, aproximadamente, 20 horas", explicou o delegado Marcus Vinícius do Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp).

Após horas de pânico e uma longa negociação com a polícia, a criança foi liberada  em um ponto de ônibus, próximo a um trevo, em Pará de Minas. Nenhum dinheiro foi levado.

O que chama a atenção é que, segundo a PC,  a cordenação do sequestro e condução das negociações ficou à cargo de um homem que cumpre pena na Penitenciária Nelson Hungria. Além dele, há a suspeita de que outro detento foi responsável por conseguir o veículo que foi utilizado no sequestro. "Essa dupla é considerada a mandante do crime de extorsão mediante sequestro", completou o investigador. Trata-se de Daniel Augusto Cypriano e Thiago Rodrigues Ribeiro. 

Ele explica que a família foi vítima do sequestro devido  alto poder de compras. "A elevada capacidade financeira da família chamou a atenção dos bandidos", explicou. O pai da criança movimenta altas quantias por se tratar de um empresário no ramo de imóveis na cidade. "Sabendo disso, os bandidos começaram a monitorar  a rotina da família (...) Inclusive, tentaram praticar o sequestro 15 dias antes do ocorrido", acrescentou.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade