Publicidade

Estado de Minas

Morte de mãe e filho: 'Merece mais do que isso', diz parente de vítimas sobre prisão de suspeito

Irmão de Tereza Cristina Peres de Almeida, de 44 anos, e tio de Gabriel Peres Mendes de Paula, de 22, mostrou indignação com a demora da Justiça em decretar a prisão do homem


postado em 31/07/2019 15:46 / atualizado em 31/07/2019 17:23

Corpos de mãe e filho foram enterrados na tarde desta quarta-feira em BH(foto: Reprodução/Facebook)
Corpos de mãe e filho foram enterrados na tarde desta quarta-feira em BH (foto: Reprodução/Facebook)

A prisão do microempresário Paulo Henrique da Rocha, de 33 anos, principal suspeito dos assassinatos da ex-mulher Tereza Cristina Peres de Almeida, de 44 anos, e do filho dela, Gabriel Peres Mendes de Paula, de 22, não tirou a tristeza dos familiares da vítima. Ao saber que o homem foi preso, o irmão de Tereza e tio de Gabriel, o motorista Hugo Peres de Almeida, de 38, criticou a demora da Justiça de decretar a prisão do homem, que já tinha histórico de violência contra a ex-mulher.


Hugo estava no velório dos familiares quando recebeu a notícia da prisão. Diante disso, desabafou. “O que ele merece é muito mais do que isso. Ele era para estar preso há muito tempo. Se ele tivesse lá onde devia estar, minha irmã e meu sobrinho não esariam naquele caixão. Mas a Justiça, infelizemente, é inoperante. E vai continuar sendo, pois eles legislam somente em desfavor do povo”, afirmou.

Paulo foi preso nas proximidades do Fórum Lafayete, no Bairro Barro Preto, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Uma arma foi apreendida. Ele estava sendo procurado desde a noite do crime e já era considerado foragido. Os detalhes da prisão serão repassados pela Polícia Civil ainda nesta tarde.

O crime aconteceu na noite de segunda-feira. Mãe e filho foram assassinados por volta das 22h, próximo à Avenida Bernardo Vasconcelos, no Bairro Ipiranga, Região Nordeste de BH. Eles tinham acabado de sair de uma academia quando foram surpreendidos e baleados. Imagens de uma câmera de segurança da região mostram o momento em que o assassino atira contra as vítimas. Ele usava uma blusa escura de capuz e fugiu em um veículo sedã preto. Tereza foi atingida por quatro tiros – três no peito e um na cabeça. Já o filho dela morreu com um tiro no ouvido.

No início da tarde desta quarta-feira, a Justiça mineira decretou a prisão preventiva do microempresário. A Polícia Civil entregou ao judiciário uma representação pela prisão temporária – cinco dias. Porém, a Justiça decretou a prisão preventiva – sem prazo – do homem. Agora ele é considerado foragido.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade