Publicidade

Estado de Minas

Paola Antonini quer conhecer menino que amputou perna após corte com linha chilena

Em vídeo postado nas redes sociais, jovem, que também perdeu a perna devido a um acidente em Belo Horizonte, sugere uma 'vaquinha' para comprar uma prótese para o garoto


postado em 25/07/2019 16:53 / atualizado em 25/07/2019 18:07


Nada melhor do que um conforto e incentivo de uma pessoa que já passou por uma situação semelhante difícil e conseguiu superar. O garoto Gabriel Nascimento, de 15 anos, que teve que amputar a perna depois de ter um corte profundo provocado por uma linha chilena, poderá ter esta oportunidade. A modelo Paola Antonini, que também perdeu um membro após ser atropelada em Belo Horizonte, manifestou, por meio das redes sociais, o desejo de encontrar com o menino. Ela também sugeriu aos seus seguidores fazer uma “vaquinha” para comprar uma prótese para Gabriel.

“Recebi muita mensagem de gente contando a história do Gabriel. Ele acabou perdendo a perninha com um acidente com cerol. Não tenho contato com ele. Se alguém tiver, vou adorar poder visitá-lo”, disse. “Se vocês animarem, podemos fazer uma vaquinha, a gente ajuda ele. Acho que vai ser super importante para ele dar essa pernoca para ele jogar futebol”, completou.

Gabriel teve que amputar a perna por causa da irresponsabilidade de pessoas que ainda insistem a soltar pipas e papagaios utilizando cerol ou linha chilena. O menino caminhava na direção do estabelecimento comercial dos pais quando se deparou com uma linha chilena esticada na rua. Um ônibus passou pela rua e a linha enroscoou na perna dele. O menino foi socorrido por uma enfermeira e dois motociclistas que passavam pelo local e chamaram o Samu. Ele chegou ao hospital em choque e sangrando muito, em risco iminente de morte.

O ferimento ocorreu na parte traseira do joelho. Gabriel passou por uma cirurgia, foi para o Centro de Terapia Intensiva (CTI), mas no dia seguinte teve complicações e precisou entrar novamente no bloco cirúrgico. Devido aos ferimentos, a equipe médica optou pela amputação.
(foto: Instagram/Reprodução da Internet )
(foto: Instagram/Reprodução da Internet )

Paola Antonini por uma situação semelhante. Ela estava na porta de uma casa na Avenida Raja Gabáglia, nas proximidades do Hospital Madre Teresa, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, quando foi atropelada. A motorista de um carro perdeu o controle da direção e bateu na traseira de um Fiat Bravo, que estava estacionado. Paola colocava malas no bagageiro para começar uma viagem de férias quando o Fiat 500 bateu e ela foi prensada. De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar feito à época, o carro estaria em alta velocidade.

A motorista, Diandra Lamounier Morais de Melo, de 27, passou pelo teste do bafômetro, que constatou 0,53 miligrama por litro de ar expelido dos pulmões, valor considerado crime de trânsito. Além disso, a condutora foi multada por não portar a carteira de habilitação. Paola passou por várias cirurgias e teve que amputar parte de uma das pernas. O acidente aconteceu em 27 de dezembro de 2014.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade