Publicidade

Estado de Minas

Bancário mata a esposa na frente da filha no Norte de Minas

Depois de cometer o assassinato, o homem, de 35 anos, tirou a própria vida. As causas para o crime ainda estão sendo investigadas pela Polícia Civil


postado em 18/07/2019 15:41 / atualizado em 18/07/2019 15:51

O casal estava na cidade há menos de dois meses(foto: Álbum de família)
O casal estava na cidade há menos de dois meses (foto: Álbum de família)

Um crime bárbaro chocou os moradores de Januária, na Região Norte de Minas Gerais. Um bancário, de 35 anos, assassinou a companheira, de 38, na madrugada desta quinta-feira, dentro de uma casa. O crime aconteceu na frente da filha, de 11, do casal. A garota foi encontrada desesperadas por vizinhos. Um inquérito foi instaurado para investigar o feminicídio.

O crime aconteceu por volta das 5h. A Polícia Militar (PM) foi acionada por vizinhos que escutaram  o barulho de tiros vindo do apartamento do casal, localizado na Rua Padre João Maria, no Centro da cidade. Quando os militares chegaram ao local, encontraram com a filha do casal desesperada e contando que o pai tinha matado a mãe e se matado.

De acordo com a PM, Thagore Bornw Cavalcante, foi até o quarto da filha, onde Edicreuza Pereira Barbosa, de 38, dormia, armado com um revólver. Em seguida, atirou seis vezes contra a companheira, que morreu na hora. Em seguida, ele foi até a cozinha, onde se matou.

O casal chegou na cidade há menos de dois meses. Eles são naturais de Pernambuco. Testemunhas contaram aos militares que eles estavam em processo de separação.

Depressão


Segundo a PM,  Thagore tinha depressão. Ele fazia uso de medicamentos, mas suspendeu as medicações por conta própria. Por causa disso, o seu quadro se agravou. A atitude do companheiro teria desapontado Edicreuza que já se preparava para voltar para a cidade natal.

O caso está sendo investigado pela delegada Bruna Jhyesse, da delegacia de Mulheres da cidade. A perícia foi feita no apartamento do casal e a arma do crime foi apreendida. Os corpos foram encaminhados para o Posto Médico Legal da cidade.

Violência contra a mulher


O crime de feminicídio vem aumentando em Minas Gerais. Dados apurados pelo Estado de Minas junto à Polícia Civil mostram que 64 mulheres perderam a vida no primeiro semestre de 2019 contra 62 no ano passado. Em Belo Horizonte, seis mulheres foram mortas no período relacionado a esse ano. De janeiro a junho de 2018, duas morreram. No entanto, os feminicídios tentados apresentaram queda: 126 de janeiro a junho de 2018 e 104 em 2019.

Os dados de violência doméstica em Minas Gerais também assustam. No primeiro semestre deste ano, a Polícia Civil computou 73.457 ocorrências deste tipo. No ano passado, foram 71.406, ou seja, houve aumento de 2,8%. Os dados mostram que 17 mulheres foram agredidas por hora no estado entre janeiro e junho de 2019. Em Belo Horizonte, onde os dados diminuíram de 9.003 para 8.962, duas mulheres foram agredidas por hora.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade