Publicidade

Estado de Minas

Polícia tenta encontrar autores de assassinato de empresário em BH

O homem foi encontrado sem vida dentro de um apartamento o Bairro Serrano, na Região da Pampulha


postado em 16/07/2019 15:43

O assassinato aconteceu em um apartamento no Bairro Serrano(foto: Google Street View/Reprodução)
O assassinato aconteceu em um apartamento no Bairro Serrano (foto: Google Street View/Reprodução)

A Polícia Civil faz levantamentos nesta terça-feira para tentar encontrar indícios que levam aos autores do assassinato do empresário Alessandro Cipriano, de 46 anos. O homem foi encontrado sem vida dentro de um apartamento o Bairro Serrano, na Região da Pampulha. Uma das linhas de investigação é latrocínio – roubo seguido de morte – devido a materiais que foram levados do imóvel da vítima.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que equipes já dão andamento as investigações. Porém, afirmou que detalhes sobre as apurações não serão repassadas para não atrapalhar o andamento do processo.

O crime foi descoberto por familiares de Alessandro na manhã desta segunda-feira. De acordo com o boletim de ocorrência da PM, parentes alegaram que o homem estava desaparecido desde o último sábado, quando saiu de casa depois do almoço e não retornou. Diante da situação e por ele não atender as ligações, ele passou a ser procurado.

Os familiares foram até um apartamento de propriedade da vítima no Bairro Serrano, após homem não comparecer nesta segunda-feira na empresa de refrigeração dele. No prédio, notaram que a luz do apartamento estava acesa e a porta fechada, porém, destrancada.

De acordo com a PM, os familiares entraram no imóvel e, na sala, já notaram que havia materiais fora do lugar. Além disso, uma televisão que ficava fixa em um painel na parede do cômodo havia sido retirada. A vítima foi encontrada no quarto. As testemunhas contaram que o empresário estava com as mãos e pernas amarradas para trás e com um cobertor na cabeça.

A principal hipótese é que ele tenha sido assassinado por asfixia. Isso devido a um cabo de energia estar enrolado no pescoço dele com um nó na parte de trás. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte.  O caso é investigado pela 6ª Delegacia de Homicídios Noroeste.


Publicidade