Publicidade

Estado de Minas

Bombeiros encontram corpo de vítima da tragédia de Brumadinho

As partes do corpo da vítima estava em uma área próxima a área administrativa da Vale. Os segmentos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) para identificação


postado em 05/07/2019 18:14 / atualizado em 05/07/2019 18:31

Área onde o corpo foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros nesta sexta-feira(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Área onde o corpo foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros nesta sexta-feira (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

O trabalho incessante do Corpo de Bombeiros na buscas por pessoas desaparecidas devido ao rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Grande BH, continua dando resultado. Mais um corpo foi encontrado nesta sexta-feira pelos militares. Os segmentos  estavam próximo a área administrativa a aproximadamente 5 metros de profundidade. Este é o segundo encontrado nesta semana.

De acordo com a corporação, os segmentos foram encontrados nesta manhã. O corpo estava incompleto e com parte da arcada dentária, o que poderá facilitar na identificação. Foi achado um tronco com cabeça e os membros superiores. “O corpo foi encontrado a aproximadamente 5 metros de profundidade no Remanso 2, localizado abaixo da área administrativa, logo após o Remanso 1, onde foi encontrado o corpo anteontem”, informou.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o trabalho de inteligência foi fundamental para o encontrar mais uma vítima do desastre. O corpo foi encaminhado para o IML em Belo Horizonte, onde será feita a identificação.

Vítima identificada


O corpo de Carlos Roberto Pereira, de 62 anos, uma das 270 vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, foi identificado depois de mais de 160 dias da maior tragédia ambiental e humana no Brasil. O corpo foi encontrado, praticamente intacto, e a identificação foi feita 11 horas depois da entrada no IML.

O corpo chegou ao IML às 21h10 de quarta e a família foi informada às 17h de quinta. Em entrevista coletiva na manhã de sexta-feira (5), o superintendente de Polícia Técnico-Científica, o médico-legista Thales Bittencourt, explicou que a identificação foi feita pelo método da arcada dentária. Como o crânio estava preservado, foi possível comparar  com fotos enviadas pela família de Carlos, que trabalhava para uma empresa terceirizada da Vale.

Tecnologia


O IML identificou 91,5% de corpos das vítimas da tragédia da Vale em Brumadinho. No entanto, das 270 vítimas, 23 ainda seguem sem identificação. Em entrevista coletiva, o médico-legista Thales Bittencourt, superintendente de polícia técnico-científica da Polícia Civil de Minas Gerais, informou que está previsto para o dia 15 a chegada de tecnologia de ponta para realizar o sequenciamento do DNA de 137 segmentos de corpos que estão no instituto

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade