Publicidade

Estado de Minas

Médico é preso por compartilhar pornografia infantil e filmar exames íntimos

Homem fazia imagens íntimas de pacientes. No ano passado, ele havia sido preso por arquivar 33 mil imagens


postado em 17/06/2019 13:25 / atualizado em 17/06/2019 16:19

Fábio Lima Duarte, de 37 anos, é preso pela terceira vez em menos de um ano(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Fábio Lima Duarte, de 37 anos, é preso pela terceira vez em menos de um ano (foto: Polícia Civil/Divulgação)

Um médico foi preso, na manhã desta segunda-feira, por pornografia infantil. A prisão foi resultado da Operação “Curie”, deflagrada pela Polícia Federal para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes. Homem já havia sido preso duas vezes em menos de um ano.

O preso, Fábio Lima Duarte, tem 37 anos e reside na região da Pampulha, em Belo Horizonte. Além de guardar e compartilhar arquivos de pornografia infanto-juvenil por meio da internet, ele filmava exames médicos íntimos que realizava em suas pacientes.

Ele foi encaminhado para a penitenciária Nelson Hungria, onde permanece à disposição da Justiça. Se condenado, poderá cumprir até seis anos de reclusão e pagar multa. 

A prisão cumpriu o mandado judicial de prisão preventiva, expedido pelo 35ª Vara da Justiça Federal de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Federal, as investigações prosseguem no sentido de verificar as redes de contato do preso.

Em nota, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais (CRM/MG) informou que tomou conhecimento, pela imprensa, da prisão do médico no início do ano. E que, à época, iniciou os procedimentos regulamentares necessários à apuração dos fatos. O registro de CRM desse médico está suspenso por decisão judicial. O processo contra o médico corre no CRM/MG sob sigilo.
 

Preso outras vezes

Em Operação da Polícia Civil em outubro de 2018, foram constatadas 33 mil imagens compartilhadas em um ano. Na casa dele foram encontradas várias fotos do médico fazendo sexo com adolescente na sua própria casa. Ele teria confessado que usava câmera escondida durante exames de imagens nas pacientes sem que elas soubessem. A Polícia Civil ainda apurava em quais clínicas ele atendia e se houve estupro de vulnerável e importunação ao pudor. Ele recebeu liberdade provisória em 20 de dezembro. 

Em fevereiro deste ano, ele foi preso novamente, acusado de estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude. Na casa de Fábio foram apreendidos 74 vídeos de mulheres e 31 de crianças e adolescentes e um, em inglês, que “supostamente ensina como abordar crianças e adolescentes para práticas sexuais”, segundo a delegada Renata Ribeiro Fagundes, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente. O material apreendido na operação registrava imagens do médico em atos sexuais com adolescentes. Ele havia recebido o alvará de soltura condicionado a monitoração eletrônica no dia 3 de abril de 2019.

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade