Publicidade

Estado de Minas

Até criança terminou dopada em ação de trio preso por atrair idosos e roubá-los

Bando é acusado também de ter matado a facadas Thiago dos Santos, de 63 anos, antes de roubar o cofre da vítima


postado em 11/06/2019 06:00 / atualizado em 11/06/2019 08:54

Polícia diz que quadrilha abordava vítimas em bares na capital. Bando roubava até eletrodomésticos (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Polícia diz que quadrilha abordava vítimas em bares na capital. Bando roubava até eletrodomésticos (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)


A Polícia Civil prendeu três suspeitos de atrair para o sexo, dopar e roubar idosos que frequentavam bares no Centro de Belo Horizonte. Lucileia Ferreira Rodrigues, de 44 anos, Rodrigo Pereira de Souza, de 38, e Jabson Lopes, de 52, foram apresentados ontem na 1ª Delegacia de Justinópolis em Ribeirão das Neves, na Grande BH. O trio também é acusado de matar Thiago dos Santos, de 63, em 24 de julho de 2018. Os agentes policiais cumpriram mandado de busca e recolheram material de roubo, como geladeiras, televisores, notebook, frigobar e até fogão. Foi necessário o uso de um caminhão para transportar até a delegacia os produtos roubados.

“Lucileia identificava senhores com idade por volta de 60 anos, divorciados ou viúvos. Trocava telefone com as vítimas, ia até a residência. Lá, colocava droga em bebidas para a vítima adormecer”, explica o delegado Eduardo Hilbert. Quando a vítima estava sonolenta, ela e Rodrigo faziam os furtos. De acordo com as investigações, Lucileia conheceu Thiago no Centro de BH. Os dois foram para a casa do aposentado, onde ela, aproveitando-se da distração da vítima, colocou substâncias soníferas na bebida. Rodrigo foi o responsável por levar os pertences da casa da vítima. Ele esfaqueou a vítima no rosto e no pescoço antes de a dupla retirar da casa um cofre, no qual Thiago guardava cheques e outros bens. Jabson foi chamado para fazer o transporte do cofre.

CRIANÇA DOPADA A polícia identificou mais dois idosos vítimas do trio e acredita que possa haver outros. Uma das vítimas confirmadas, de 65 anos, passou três dias dormindo após ser drogado pelos investigados. “Ele tomou a bebida com a droga na quinta-feira e só foi acordar no sábado. O filho dele, de 10 anos, também ingeriu a substância. Os dois correram sério risco, mas foram medicados e passam bem. O prejuízo foi material”, afirma o delegado.

Jabson negou fazer parte da armação, alegando que foi chamado para fazer um carreto. “Estava em casa dormindo e fui chamado pela Lucileia para fazer o carreto”, diz. Rodrigo assumiu a autoria do crime, mas disse estar arrependido. “Na hora do aperto, a gente faz coisas e se arrepende depois. Isso foi algo que me arrependi amargamente, mas aconteceu”. Embora seja apontada como a líder do grupo, Lucileia nega e diz ter nota fiscal de todo o material apreendido. Ela diz que manteve relação amorosa com Rodrigo, com quem vivia na mesma casa. “Nunca fiz isso. Tudo que eles trouxeram para cá, tenho nota na minha casa”, afirma. O trio será indiciado por homicídio qualificado e roubo qualificado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade