Publicidade

Estado de Minas

Vale anuncia US$ 1,9 bilhão para acelerar descomissionamento de barragens

As estruturas que serão descaracterizadas são do mesmo tipo das que se romperam em Mariana (2015) e Brumadinho (2019)


postado em 08/06/2019 12:59 / atualizado em 08/06/2019 13:11

Barragem em Nova Lima está na lista(foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press)
Barragem em Nova Lima está na lista (foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press)

A Vale informou, neste sábado (8/6), que está acelerando o descomissionamento de nove barragens de minério de ferro a montante no Brasil. Esse tipo de alteamento é o mesmo tipo das barragens que se romperam em Mariana (2015) e em Brumadinho (2019). Para isso, a mineradora provisionou US$ 1,9 bilhão.

Essas barragens são consideradas mais frágeis e propensas a rompimentos, já que os alteamentos (a elevação delas para ampliação da capacidade de armazenamento) são feitos sobre os próprios rejeitos.

No comunicado, a empresa detalha o processo de descomissionamento das estruturas: 
• 2 serão completamente descomissionadas em 3 anos
• 5 serão transformadas em a jusante antes do descomissionamento
• 2 terão seu fator de segurança aumentado dentro de 3 anos antes do
descomissionamento
• Despesa estimada entre US$ 150-200 milhões em 2019, em torno de US$ 500 milhões em 2020 e entre US$ 150-200 milhões nos próximos anos
• Avaliações em andamento em projetos de engenharia e despesas para outras estruturas geotécnicas (próprias e JVs).


O que é barragem a montante
Nesse tipo de estrutura, o corpo da barragem é construído com o uso de rejeitos depositados, como detalha o comunicado da companhia. Os alteamentos são realizados no sentido contrário ao fluxo de água (montante). A barragem necessita de rejeito grosso para que o maciço possa ser construído.

Sobre a descaracterização das estruturas, a mineradora assegurou que nenhuma das nove barragens a montante recebe novos rejeitos e as operações próximas a elas também se encontram paralisadas, como requisito para o andamento do processo de descaracterização - que significa o encerramento definitivo do uso da estrutura.

Após concluídas as obras de descaracterização, a estrutura restante deixa de ser uma barragem e é totalmente reincorporada ao relevo e ao meio ambiente ao redor, diz o comunicado.


Publicidade