Publicidade

Estado de Minas

'Em três ou quatro anos, nós vamos eliminar os riscos', afirma Zema sobre barragens mineiras

Em primeira visita a Barão de Cocais, governador afirmou que não compareceu à cidade da Região Central antes por conta da agenda. Também não descartou repasse para a prefeitura local, diante dos gastos com saúde no município


postado em 05/06/2019 18:19 / atualizado em 05/06/2019 19:32

(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

 

O governador Romeu Zema (Novo) garantiu que o medo vivido pela população mineira que vive nos arredores das barragens de mineração será eliminado “em três ou quatro anos”. Segundo ele, o estado “não vai repetir” as tragédias ocorridas em Mariana e Brumadinho ou com a “lama invisível” de Barão de Cocais.


Segundo Zema, as represas que trazem riscos à população serão descomissionadas. Contudo, salientou que o processo leva tempo. “Eu gostaria muito de anunciar isso no meu governo ainda, mas é um trabalho que vai levar anos, porque é uma movimentação de material gigantesca, que não há como ser feita de um mês para o outro”, disse, em entrevista dada em Barão de Cocais, na Região Central do estado, na tarde desta quarta-feira (5).


O governador também voltou a colocar a culpa dos problemas nas barragens mineiras nas administrações passadas. “Tudo que tem acontecido em Minas foi construído nas últimas décadas. E se foi mal construído, nós não vamos conseguir eliminar esses problemas de um dia pro outro”, lembrou.

 

Barão de Cocais 


O chefe do Executivo também disse que não foi antes à cidade ameaçada pelo rompimento da Barragem Sul Superior, em nível 3 desde março, por falta de agenda. “Nós estávamos e ainda estamos acompanhando a situação de Brumadinho. Devido à questão de agenda também. Quero dizer que minha presença física não estava aqui, mas a presença do governo estava. A Defesa Civil, desde o dia 8 de fevereiro, se fez presente aqui e tem acompanhado a situação”, explicou.


Além disso, Romeu Zema não descartou realizar, em breve, alguns repasses devidos a Barão de Cocais. Segundo ele, principalmente pelas despesas crescentes na saúde pública do município.


“Realmente, o prefeito precisa de recursos, já que as despesas dele aumentaram. Nessa situação, como ele disse aqui, há mais demandas na área da saúde. Com toda certeza vamos analisar muito bem a situação daqui e o que tiver ao nosso alcance iremos fazer”, destacou.


Zema também destacou os trabalhos desempenhados pelas autoridades do governo, que estão de plantão em Barão de Cocais desde 8 de fevereiro, quando Sul Superior subiu para o nível 2 de alerta.


“A Defesa Civil se mostrou capaz de fazer isso, junto à assistência social. Temos também todo apoio da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros”, disse.


Publicidade