Publicidade

Estado de Minas

Segunda equipe de bombeiros volta a Minas após trabalhos em Moçambique

Militares estiveram em missão humanitária no país africano para reforçar ações de recuperação após a passagem de dois ciclones que destruíram o país


postado em 08/06/2019 10:04 / atualizado em 08/06/2019 11:35

Equipe composta de cinco militares chegou neste sábado a Belo Horizonte e foi recepcionada pelo comando dos bombeiros(foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)
Equipe composta de cinco militares chegou neste sábado a Belo Horizonte e foi recepcionada pelo comando dos bombeiros (foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)
A segunda equipe de bombeiros mineiros que foi para Moçambique em ajuda humanitária retornou ao Brasil neste sábado. Os cinco militares foram recepcionados com homenagem pelo empenho na operação no país que foi devastado pelos ciclones Idai e Kenneth, que atingiram o continente africano.

Em abril, a primeira equipe, composta por 20 militares, ficou 40 dias no país. A segunda equipe de bombeiros especialistas em operações de busca, salvamento e gestão do desastre ficou 30 dias no país da África. Pela primeira vez no Brasil, equipes de bombeiros militares foram enviadas para atuar na ajuda humanitária em uma missão internacional.

Durante a cerimônia, os cinco militares receberam diploma e medalha em forma de consagrar os trabalhos. A entrega foi realizada pelo comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG), coronel Edgard Estevo da Silva, e o chefe do Estado-Maior da corporação, coronel Erlon Dias do Nascimento Botelho Wender. 

Medalhas foram entregues para corporação(foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)
Medalhas foram entregues para corporação (foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)


Eles agradeceram e parabenizaram os militares pela operação, que exigiu capacidades técnicas e controle emocional. Após a cerimônia, os militares foram recepcionados pelas famílias. O sargento Thales Leite foi recebido pela filha de oito meses de idade. Ele contou que a cada momento sentia uma nova emoção. "Às vezes a gente reclama aqui de coisas tão simples e não tem noção do que eles vivem", disse.

Sargento Thales Leite contou sua experiência no continente africano(foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)
Sargento Thales Leite contou sua experiência no continente africano (foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)
Thales carrega nove anos de experiência no Corpo de Bombeiros, incluindo participação nas operações Mariana e Brumadinho e, para ele, o aprendizado foi além do profissional. "Foi uma missão de vida, porque apesar de tudo, era um povo feliz. A todo momento a gente tem um choque de realidade. Lá faz a gente refletir bastante".

O sargento contou que a corporação levou alimento para uma aldeia que estava há 15 dias sem abastecimento, e, quando viram a chegada dos bombeiros, a população os recebeu "como se fosse uma bênção".

A partir desta semana, a equipe vai ter dez dias para descansar e matar a saudade de casa. "Eu ficava todos os dias olhando as fotos da minha filha. Agora vou ficar grudado nela”, comemora o sargento Leite.

A experiência do Corpo de Bombeiros de Minas em catástrofes, como em Mariana e Brumadinho, foi o que capacitou os militares e fez com que eles se destacassem nesse tipo de atuação.

Saiba quais foram as principais atividades desempenhadas pelos bombeiros na Operação Moçambique:

- Montagem de acampamentos para desabrigados e tendas para atendimento médico
- Desobstrução de estradas, permitindo que a população tivesse acesso aos serviços essenciais nos centros urbanos
- Transporte de combustível, alimentos, medicamentos e outros suprimentos, por meio de botes, viaturas e aeronaves
- Corte e poda de árvores comprometidas pelos ciclones
- Promoção de treinamentos e simulados às comunidades locais, com o objetivo de prevenir acidentes e incêndios
- Reconstrução de telhados de escolas, igrejas e casas, devolvendo as edificações à comunidade
- Reparo de bombas hidráulicas para o restabelecimento de sistemas de bombeamento de água nas comunidades locais
- Busca e salvamento na cidade de Pemba, devido ao ciclone Kenneth, segundo a atingir o país


Publicidade