Publicidade

Estado de Minas

Caso de transexuais barradas em banheiro de shopping causa reação em redes sociais

Denunciantes foram impedidas por seguranças de usar sanitário feminino. Empreendimento informou que respeita diversidade e fará treinamento com agentes


postado em 07/06/2019 16:53


Após a repercussão do vídeo que mostra duas transexuais impedidas de usar o banheiro de um shopping center em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, começou a circular em redes sociais um convite para um movimento em frente aos banheiros do centro comercial. O empreendimento afirmou que está trabalhando com funcionários para que o fato não se repita.

No vídeo, as transexuais conversam com os seguranças, que pedem documentos que comprovem mudança de sexo para poder ter acesso ao banheiro feminino. Eles afirmaram que “é uma questão de bom senso”, o que indignou as amigas. Elas perguntaram se deveriam usar o banheiro masculino, mas eles não responderam. Até a publicação desta matéria, o vídeo contabilizava 53 mil visualizações no Facebook.

O manifesto, chamado de "Rolezinho do amor", foi marcado para o Dia dos Namorados, 12 de junho. O convite, feito pela professora e ativista Duda Salabert, instrui a comunidade LGBT+ a passear pelo shopping e usar os banheiros, mas sem consumir. 

Em resposta ao ocorrido, o centro de compras afirmou que os funcionários –  próprios ou terceirizados –  vão receber treinamento nas próximas semanas “para assegurar que todos aqueles que fazem parte da nossa equipe pratiquem os nossos valores de respeito à diversidade”.

Em nota, o ItaúPower Shopping lamentou a situação vivenciada por Tháylla Castanha e Gisele Rodrigues nas instalações e disse que “respeita e acolhe a diversidade e a liberdade individual”.


Publicidade