Publicidade

Estado de Minas

BH perde grafite em homenagem à Teuda Bara criado pelas Minas de Minas

O mural, pintado em dezembro de 2017 no aniversário de 120 da capital, embelezou a rua Guaicurus por quase dois anos antes de ser coberto de preto


postado em 01/06/2019 18:15 / atualizado em 01/06/2019 21:15

(foto: Facebook/Reprodução)
(foto: Facebook/Reprodução)
Quem passar pela rua Guaicurus não será mais recebido pelo sorriso largo da atriz Teuda Bara, do Grupo Galpão, que foi retratada em mural feito pelo grupo Minas de Minas em dezembro de 2017 na ocasião dos 120 anos da capital.  A risada inconfudível de Teuda demonstrava a satisfação da atriz com tributo feito a ela,  uma justa homenagem à artista, que projetou o nome de BH para o mundo. 
 
Em cartaz com espetáculos "Nós" e "Outros", Teuda Bara lamentou que o mural tenha sido coberto, considerando um "desrespeito" ao trabalho das Minas de Minas. "Grande desrespeito ao trabalho das meninas. Foi tudo registrado. Um mural tão bonito e bem feito. Ô terra essa em que nada cresce! Não vejo sentido nisso", afirmou. Chateada, a atriz disse que recebeu dezenas de mensagens de pessoas que lamentaram o grafite ter desaparecido.

A fundadora do Grupo Galpão se surpreendeu diante do grafite; 'Nossa! Que coisa mais linda!'(foto: Fred Bottrel/EM/DA PRESS)
A fundadora do Grupo Galpão se surpreendeu diante do grafite; 'Nossa! Que coisa mais linda!' (foto: Fred Bottrel/EM/DA PRESS)
O grafite, que ficava em um muro privado, foi coberto de tinta preta de cima embaixo. No lugar das cores e dos traços inconfundíveis das Minas de Minas agora apenas verá a cor preta. A artista Carol Jaued, a Krol,  que assina o grafite, ficou desapontada ao ver que o mural foi coberto.  "Tinha um bom tempo que não passava pela rua Guaicurus. Passei lá na quarta-feira (29), conferi para ver se estava tudo certo. Hoje, quando saia de um compromisso, recebi a mensagem informando que o grafite estava sendo coberto", relata.

Krol informou que não havia como impedir que o mural fosse coberto, por estar em propriedade privada, o proprietário que faz a gestão do espaço. Ela lembra que a homenagem fez parte das ações oficiais da Prefeitura de Belo Horizonte, mas que a negociação para a liberação do espaço para a pintura foi feito diretamente com o proprietário.  Na época, o Estado de Minas acompanhou o encontro de Teuda com o grupo Minas de Minas, confira. 
 
 
Ver o trabalho ser coberto traz tristeza para Krol, que lamenta também o fato de a imagem de Teuda deixar de compor circuito criado com imagens de mulheres inspiradoras, entre a Praça da Estação e o Bairro Lagoinha.

O grupo Minas de Minas pintou o retrato da cantora Elza Soares, nas escadarias próxima à Estação Central do Metrô, a atriz Taís Araújo na rua Espírito Santo, Teuda na rua Guaicurus e a escritora Maria Carolina de Jeus no complexo viário da Lagoinha.  "A gente fica de coração partido.  Quebrou contexto que o grupo estava construíndo. Menos um trabalho para a cidade", diz. Krol acredita que, no futuro, o grafite pode ser refeito, mas em outro contexto.

 
Reveja o encontro de Teuda e as Minas de Minas.
 
 


Publicidade