Publicidade

Estado de Minas

Capital mineira tem cinco dos sete óbitos por H1N1

Somente nesta semana duas mortes foram confirmadas entre pessoas que contraíram a doença


postado em 01/06/2019 06:00 / atualizado em 01/06/2019 07:44

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )

O fantasma do vírus Influenza A H1N1, que provocou uma epidemia mundial em 2009, volta a assombrar a capital mineira, onde já morreram cinco pessoas nos últimos cinco meses. Somente nesta semana duas mortes foram confirmadas entre pessoas que contraíram a doença. Uma forma de se evitar ou atenuar os sintomas é por meio da vacinação.

A partir de segunda-feira, as doses estarão disponíveis para todo a população, independentemente dos grupos considerados de risco. Esta é a primeira vez em que BH adota a estratégia de liberar a imunização contra a gripe para todos os moradores, e não apenas para pessoas que compõem o público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação.

A cada semana os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) provocados pelos vírus Influenza vêm aumentando em Belo Horizonte. Desde o início do ano foram 40 confirmações na cidade, sendo 37 por Influenza A H1N1, uma por H3N2, uma sem subtipo especificado e outra por Influenza B. Na capital já são cinco mortes, todas por H1N1, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. A pasta não divulgou quantos óbitos suspeitos estão sendo investigados.


O H1N1 é o subtipo do vírus Influenza que mais provocou a síndrome neste ano em Minas, seguido pelo H3N2. Também há confirmação de infecção por Influenza B e Influenza A sem subtipo definido. Em todo o estado são ao menos sete mortes pelo vírus. Os outros óbitos foram registrados em Juiz de Fora, na Zona da Mata, e Andrelândia, no Sul do estado.


Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, foram registrados em Minas Gerais cinco surtos gripais, caracterizados pela ocorrência de ao menos três casos em ambientes fechados ou restritos em um intervalo de até sete dias entre as datas de início dos sintomas. Eles ocorreram na aldeia da etnia maxacali em Bertópolis, Ladainha e Santa Helena de Minas, no Vale do Mucuri, e em Belo Horizonte.


Vacina para todos
A população mineira terá a oportunidade de se proteger contra o vírus Influenza, causador da gripe. O Ministério da Saúde liberou as doses da vacina para os moradores que não estão inseridos no publico-alvo da Campanha Nacional da Vacinação. A partir de segunda-feira, as pessoas poderão procurar as unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) para se imunizar.

Pela primeira vez Belo Horizonte é uma das cidades que vão adotar a estratégia. Segundo a Secretaria de Saúde, desde o início da campanha nacional foram distribuídas um milhão de doses para os 152 postos de saúde da cidade. “O estoque atual é de aproximadamente 47 mil doses no nível central, além dos estoques das unidades de saúde, que vêm recebendo a vacina desde o início da campanha”, explicou a pasta.


Desde 10 de abril, mais de 690 mil pessoas do público-alvo já se vacinaram, o que corresponde a 79,7% de cobertura vacinal. A meta, definida pelo Ministério da Saúde, é vacinar 90%. A preocupação maior é com crianças de 6 meses a 5 anos e gestantes, que apresentam o menor índice vacinal, com 60,2% e 60,1%, respectivamente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade