Publicidade

Estado de Minas

Menos de um terço dos moradores participa de simulado de emergência em BH

Apesar da capital mineira estar a 120 quilômetros da barragem, em caso de rompimento, os moradores dos bairros Beija-Flor e Maria Tereza estariam dentro da chamada mancha de inundação


postado em 25/05/2019 18:56 / atualizado em 25/05/2019 19:02

Barragem fica em complexo minerário em Ouro Preto(foto: Leandro Couri/EM/D.A PRESS - 13/03/2018)
Barragem fica em complexo minerário em Ouro Preto (foto: Leandro Couri/EM/D.A PRESS - 13/03/2018)


Um simulado de evacuação de emergência realizado na tarde deste sábado (25) nos bairros Maria Tereza e Beija-Flor, nas regiões Norte e Nordeste de Belo Horizonte, contou com a participação de menos de um terço dos moradores. 

Organizado pela Defesa Civil e pela mineradora Vale, o procedimento teve como objetivo treinar comunidades que estão em uma zona de segurança secundária da barragem de Forquilha I, que fica em Ouro Preto. 

Apesar da capital mineira estar a 120 quilômetros da barragem, em caso de rompimento, os moradores estariam dentro da chamada mancha de inundação. Um possível aumento no volume do Córrego do Onça poderia atingir imóveis das duas comunidades. Desta forma, os rejeitos levariam 11 horas e 24 minutos para atingir a comunidade de Beija-Flor e 13 horas e 17 minutos a comunidade de Maria Tereza. 

Segundo a Defesa Civil, o treinamento teve duração de 25 minutos e adesão de cerca de 30% do público previsto. Eram esperadas 800 pessoas para participar dos procedimentos, mas 236 moradores participaram, sendo 142 de Beija-Flor e 94 de Maria Tereza. 

A barragem de Forquilha I, juntamente com a Forquilha III, passou para o nível três de risco de rompimento no dia 27 de março. Segundo a Vale, as duas barragens estão inoperantes e fazem parte do plano de descomissionamento da mineradora.


Publicidade