Publicidade

Estado de Minas

Defesa Civil vai realizar simulado de emergência em BH neste sábado

Treinamento vai acontecer devido ao risco de colapso da Barragem Forquilha 1, localizada em Ouro Preto, na Região Central, e em nível 3 de alerta desde 27 de março


postado em 23/05/2019 19:00 / atualizado em 23/05/2019 20:27

Complexo de Fábrica causa preocupação em Belo Horizonte(foto: Leandro Couri/EM/D.A PRESS - 13/03/2018)
Complexo de Fábrica causa preocupação em Belo Horizonte (foto: Leandro Couri/EM/D.A PRESS - 13/03/2018)

 

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil (Supdec) vai realizar um simulado de emergência em Belo Horizonte neste sábado (25). A atividade será a partir das 16h e vai passar pelos bairros Beija Flor (Região Nordeste) e Maria Tereza (Região Norte).


Segundo a Defesa Civil, a programação tem o objetivo de levar orientação para a população dessas comunidades, em razão do risco de colapso da Barragem Forquilha 1, da Mina de Fábrica, em Ouro Preto (Região Central do estado). O barramento está no nível 3 da escala de risco, que significa rompimento iminente, desde 27 de março. A estrutura é gerida pela Vale.


A previsão da Supdec é que o simulado dure 40 minutos. Serão dois pontos de encontro: a Igreja Pentecostal Kairós (Avenida A, 70 – Bairro Santa Teresa) e a Igreja Pentecostal Deus é Nosso Refúgio (Rua Padre Argemiro Moreira, 6 – Bairro Beija Flor).

 

A Defesa Civil esteve nas duas localidades nesta quinta-feira (23) para repassar informações aos moradores. Um material informativo foi distribuído, contendo orientações para quem vive ali em caso de desastre.

 

Material que foi distribuído no Bairro Maria Tereza(foto: Reprodução/Defesa Civil)
Material que foi distribuído no Bairro Maria Tereza (foto: Reprodução/Defesa Civil)
 


No total, o treinamento abrange 800 moradores, apenas aqueles que estão na mancha de inundação. São 123 imóveis no Maria Tereza e 125 no Beija Flor. 


De acordo com a Vale, Forquilha 1 está a 120 quilômetros de Belo Horizonte. O rejeito levaria 11h24 para atingir a comunidade Beija Flor. No caso da comunidade Maria Tereza, o tempo estimado é de 13h17.

 

Material que foi distribuído no Bairro Beija Flor(foto: Reprodução/Defesa Civil)
Material que foi distribuído no Bairro Beija Flor (foto: Reprodução/Defesa Civil)
 


Segundo a empreendedora, a ação tem “caráter preventivo” e busca orientar a população. De acordo com a Vale, os dois bairros da capital mineira estão na Zona Secundária de Segurança (ZSS) do Plano de Ação de Emergência de Barragem de Mineração (PAEBM) da Barragem Forquilha I.


Conforme o Cadastro Nacional de Barragens de Mineração, Forquilha I tem alteamento a montante. Trata-se da mesma tecnologia usada nas represas que colapsaram em Brumadinho, em janeiro deste ano, e Mariana, em 2015.


A barragem tem 98,2 metros de altura e 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro – quantidade semelhante à de Brumadinho. O documento produzido pela Agência Nacional de Mineração (ANM) considera a represa como de baixo risco, mas de alto dano potencial.


O complexo de Fábrica, em Ouro Preto, tem outra barragem em nível 3: a Forquilha 3, também elevada para este padrão pela Vale em 27 de março. Em abril, auditores-fiscais do Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia interditaram todas as três represas situadas na mina.



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade